Geral

Foto: Rejane Costa Vice-prefeita Edna Agnolin se pronuncia durante a reunião Vice-prefeita Edna Agnolin se pronuncia durante a reunião

Pontuar problemas causados nas cidades atingidas com a construção do Lago de Lajeado. Foi com este propósito que o Consórcio Intermunicipal do Lago, se reuniu na manhã desta terça-feira, 4, no gabinete do prefeito e presidente do consórcio, Raul Filho.

Além do prefeito de Palmas, Raul Filho, participaram da reunião os prefeitos de Porto Nacional, Tereza Martins; Lajeado, Márcia Reis; Brejinho de Nazaré, Miyuki Hyashida; Tocantínia, Manoel Silvino, o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Miracema Elias Pereira, a vice-prefeita de Palmas, Edna Agnolin, representantes do Naturatins, TCE e demais autoridades.

O engenheiro ambiental do Consórcio do Lago, Rafael Marcolino expôs as problemáticas encontradas nas cidades durante vistorias. As primeiras cidades que foram vistoriadas foram Tocantínia e Miracema no dia 13/07, seguida por Lajeado no dia 14/07 e Brejinho de Nazaré dia 15/07, nos dias 16/07 e 17/07 o município de Porto Nacional recebeu a equipe. Palmas foi vistoriada nos dias 21/07 e 30/07 faltando apenas Luzimangues que será vistoriado na quinta-feira, 6.

Os principais problemas que os municípios tiveram com a construção segundo a equipe técnica responsável pela vistoria foram à inundação de suas praias de rio e povoados, o que levou a construção de praias artificiais e remanejamento de famílias para assentamentos muitas vezes desestruturados para recebê-las.

O prejuízo econômico também foi grande para aqueles que dependiam da pesca e do turismo, como é o caso do município de Lajeado e Porto Nacional. Outro problema apontado foi o psicossocial, pois muitos assentados entraram em depressão ao ver sua história ser alagada.

Na próxima terça-feira, 11, às 9h, no auditório do Paço Municipal em Palmas, o consórcio receberá representantes dos seguintes órgãos: Naturatins, Ibama, Sebrae, Secretaria Estadual de Agricultura, Ministério da Pesca, Marinha, UFT e secretários municipais de agricultura para discutirem os impactos ambientais ocasionados com a construção do Lago e formas de sanar estes problemas.

Relatório dos impactos

Foi exposto na reunião que os municípios têm até o próximo dia 20 de agosto, para entregarem ao Naturatins os relatórios apresentando os impactos sofridos com o Lago para que, no dia 28 ainda deste mês o Consórcio do Lago se reúna com os técnicos do Naturatins, para discutir os pontos divergentes e elaborar o relatório final a ser encaminhado à EDP Investco.

Fonte: Ascop