Geral

Foto: Divulgação

Trinta alunas da primeira turma do programa Mulheres Mil “Cidadania pela arte” foram certificadas ontem, terça-feira, 11, em cerimônia no auditório central do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), campus de Palmas. As formandas são moradoras do distrito de Taquaruçu.

O curso teve duração de um ano, onde a mulheres atendidas pelo Projeto participaram de diversos módulos de qualificação, como Oficina de Artesanato, Design, Empreendedorismo, Cidadania e Direito das Mulheres, Relações Humanas e outros, num total de 320 horas. Promovido pelo Instituto Federal de Tocantins, o projeto contou com as parcerias do Instituto Ecológica e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/TO).

“O projeto Mulheres Mil tem sido essencial para que a realidade de mulheres de áreas mais carentes seja transformada. O ensino de uma nova profissão irá agregar renda e melhorar a qualidade de vida dessas artesãs. Vamos continuar trabalhando para que haja continuidade desse programa e para que isso se torne uma política pública, que trará benefícios e oportunidades para as mulheres tocantinenses”, enfatizou o diretor-superintendente do Sebrae/TO, Paulo Massuia.

O projeto

Integrado às prioridades de erradicação da extrema pobreza e da fome, promoção da igualdade entre os sexos e autonomia das mulheres e garantia da sustentabilidade ambiental, o Mulheres Mil tem como objetivo promover até 2010 a formação profissional e tecnológica de cerca de mil mulheres desfavorecidas das regiões Nordeste e Norte. A meta é garantir o acesso à educação profissional e à elevação da escolaridade, de acordo com as necessidades educacionais de cada comunidade e a vocação econômica das regiões.

Executado em sistema de cooperação entre os governos brasileiro e canadense, no Brasil, é implementado pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), Assessoria Internacional do Gabinete do Ministro (AI/GM), Agência Brasileira de Cooperação (ABC), os Centros Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Cefets), Escola Técnica Federal, Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica (Redenet) e o Conselho de Dirigentes dos Centros Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Concefet). O governo canadense é representado pela Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional (CIDA/ACDI) e a Associação do Colleges Comunitário do Canadá (ACCC) e Colleges parceiros.

No Tocantins, o projeto beneficiou mulheres do distrito de Taquaruçu, a 32 km da capital, Palmas. Rica em matérias-primas, como capim dourado e sementes diversas, a produção de peças artesanais é um dos pontos fortes da economia do distrito. Por isso elas foram capacitadas para a produção de artesanato, reciclagem, biojóias (confecção de bijuterias com sementes) e produção de peças diversas, utilizando buriti, capim dourado e babaçu.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sebrae com informações IFTO