Meio Ambiente

Foto: Marcelo Barbosa

Dando continuidade às ações do Projeto Conservação do Pato Mergulhão, na região do Jalapão, o biólogo da Coarp/Naturatins – Coordenadoria de Áreas Protegidas do Instituto Natureza do Tocantins Marcelo Barbosa realiza de segunda-feira, 31, até quarta-feira, 2, a quarta expedição deste ano, à procura de mais indivíduos da ave. Pela primeira vez o levantamento vai acontecer no rio Preto, afluente do rio Novo, que se localiza nos limites da Estação Ecológica da Serra de Geral próxima ao PEJ – Parque Estadual do Jalapão. No inicio deste mês, em uma expedição no rio Novo, foi registrado o nascimento de três filhotes.

Na atividade, o biólogo irá percorrer um trecho de cerca de 30 quilômetros do rio Preto para verificar se os patos se reproduzem também no afluente. Durante o percurso serão feitas anotações das características do rio Preto, além de registros fotográficos dos ambientes às margens do rio.

“A descoberta de mais casais se reproduzindo amplia a expectativa de renovação da população com o nascimento de novos filhotes, o que denota a permanência da espécie na região”, disse Barbosa, acrescentando que está previsto para acontecer, ainda este ano, novas expedições em outros rios da região, entre eles, os rios Balsas, Sono e Soninho. “O trabalho de monitoramento no Rio Novo, local onde predomina a espécie, continuará sendo feio uma vez por mês”, confirmou o biólogo.

O especialista também informou que nesta nova viagem ao Jalapão, também irá afixar na sede do CAT - Centro de Atendimento ao Turista, em Mateiros, um painel impresso em lona, de caráter informativo para turistas e para a comunidade da região. O material conta com informações sobre as características, período reprodutivo e a importância de preservar o pato-mergulhão na região. “Esse painel também servirá como instrumento para atividades de educação ambiental no CAT”, concluiu Barbosa.

Projeto

Desde julho de 2007, o Naturatins desenvolve no PEJ – Parque Estadual do Jalapão, o projeto de monitoramento e conservação do animal com objetivo de garantir a sobrevivência desta espécie ameaçada de extinção. O trabalho de proteção do pato-mergulhão consiste em levantamento populacional, monitoramento dos locais de ocorrência da espécie e o acompanhamento dos casais no período reprodutivo.

Fonte: Ascom Naturatins