Geral

Em reunião na manhã desta terça-feira, 22, na Fieto, o Comitê Setorial da Cadeia Produtiva de Produtos Minerais não Metálicos do Estado do Tocantins – SIPMME/TO reuniu os membros que o constituem para a apresentação da minuta de seu modelo de governança.

Este comitê tem como objetivo atender de forma articulada as demandas das indústrias do segmento, desenvolvendo mecanismos que fortaleçam o setor de mineração do Estado.

Entre discordâncias e sugestões, representantes da SIC, Fieto, UFT, Ibama, Banco do Brasil, Naturatins, entre outras instituições, assistiram a apresentação do documento que é a base de seu regimento interno.

Na apresentação, Wagno Milhomem, superintendente do IEL e presidente do SIPMME/TO, falou sobre a estrutura da governança, atribuições das instituições executoras, competência da presidência e dos membros constituintes, além da participação da Fieto, que em conjunto com Sesi, Senai e IEL, providenciará a estrutura física e de pessoal necessárias para o desenvolvimento das ações do Comitê Setorial.

Fábio Lúcio, do Departamento Nacional da Produção Mineral parabenizou a organização do comitê e ressaltou sobre o potencial mineral do Tocantins. “Este estado tem um potencial na área de mineração muito grande, mas está um pouco desperdiçado por falta da presença do Estado na mineração, ou seja, este Estado tem uma vocação mineral, mas não tem uma política voltada diretamente para este setor. Neste comitê vão propor soluções para a mineração do Estado, com projetos, propostas, planos para serem levados tanto ao poder Legislativo, quanto ao poder Executivo, para isso virar uma política pública mineral para o Estado do Tocantins, que é o que eu acho que está faltando para este setor evoluir”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto

Por: Redação

Tags: Fieto, Wagno Milhomem