Geral

No próximo sábado, 3, a partir das 10 horas, na praça de alimentação do Palmas Shopping, a Associação dos Jovens Empreendedores e Empresários da capital (AJEE) realizará a quarta edição do Feirão do Imposto, evento que acontece simultaneamente em outras cidades brasileiras. O objetivo é mostrar a carga tributária embutida em produtos que o cidadão consome diariamente e lutar por sua redução.

Para isso, serão expostos, em gôndolas, remédios, artigos de papelaria, construção civil e de supermercado, especialmente aqueles que compõem a cesta básica. Também serão apresentados os impostos incidentes em veículos e o preço da gasolina desprovida de tributação. “Essas ações são para demonstrar que boa parte do que pagamos, seja o pão do café da manhã ou o ônibus para o trabalho, são impostos que ficam para o governo”, pontua Igo Nascimento, presidente da AJEE Palmas.

De fato, quando se faz um lanche matinal, a porcentagem de imposto na farinha é de 34,47%, no café é de 36,52% e no açúcar é de 40,4%. Para se locomover, o cidadão paga 38% na gasolina e 22,98% na passagem de ônibus. No total, são 83 tributos pagos no Brasil. É pensando nesses tributos que jovens empreendedores e empresários de 24 estados promovem anualmente o Feirão do Imposto, uma forma criativa de apresentar individualmente a carga tributária em serviços e bens de consumo.

Em Palmas, o evento conta com a parceria do Sebrae, Acipa, Fieto, Supermercado Quartetto, concessionárias de automóveis Autovia Fiat e Grande Rio Honda, além do Posto San Marino, que disponibilizou 1.000 litros de combustível para ser vendido sem imposto. Isso significa que, os consumidores com as requisições distribuídas durante o Feirão poderão abastecer até dez litros de gasolina pagando apenas Rnt,62 por cada litro.

Impostômetro

Junto com os produtos, o público que visitar o estande da AJEE no Shopping poderá conhecer a máquina de medir imposto – o impostômetro. Criado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o impostômetro permite saber, por exemplo, quanto os tocantinenses gastaram em impostos durante o mês de setembro ou quanto gastarão em 2010. O cálculo pode ser feito a nível federal, estadual e municipal, por período de tempo ou habitante, permitindo ainda a segmentação dos impostos.

(Assessoria de Imprensa)