Campo

Foto: Washington Luiz Bacias de captação de águas pluviais foram instaladas na estrada de acesso ao Centro Bacias de captação de águas pluviais foram instaladas na estrada de acesso ao Centro

O Centro Agrotecnológico de Palmas há quase 10 anos é palco para o desenvolvimento de pesquisas agropecuárias, além de abrir espaço para a realização da maior feira de tecnologia rural da Amazônia brasileira. Os organizadores da Agrotins já preparam algumas das novidades que farão parte do principal tema do evento: “Manejo e uso sustentável da água e do solo na agropecuária”. No local, foi implantado um sistema que minimiza os impactos ocasionados pelas chuvas. A Agrotins acontece de 04 a 08 de maio de 2010.

As bacias de captação de águas pluviais foram instaladas na estrada que dá acesso ao galpão principal do Centro. De acordo com o diretor de Desenvolvimento Rural e Tecnológico/Seagro, Ricardo Pires, a ideia é evitar o assoreamento dos mananciais, erosão em estradas e, ainda, impedir que as chuvas levem embora a cobertura orgânica ou mineral depositada no solo. “O sistema é uma técnica simples que pode ser adotado tanto em rodovias, como em estradas vicinais”, acrescenta. O projeto é uma iniciativa da Seagro - Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em parceria com o Dertins - Departamento de Estradas de Rodagem do Tocantins.

Segundo Pires, as bacias são construídas em encostas secas. O tamanho é determinado em função do tipo de solo, relevo, vegetação predominante e volume de chuvas. Nas estradas, as bacias podem ser instaladas de acordo com a declividade, largura e índice pluviométrico. “No Tocantins, o volume de chuvas é bem intenso em determinadas épocas do ano. A adesão a essa técnica pode ajudar e muito a conservação dos solos, rios, córregos e estradas”, pontua.

Apesar de o sistema já ser bastante utilizado em outros estados, no Tocantins ainda é uma novidade. No Centro Agrotecnológico foi implantada uma série de bacias num trecho de dois quilômetros, com a capacidade individual de armazenar até 10 mil litros de água, distanciando-se uma da outra com uma média de 30 metros.

As atividades do Centro Agrotecnológico permanecem durante todo o ano. Existem diferentes trabalhos científicos realizados no local, em parceria com a Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Unitins Agro, UFT - Universidade Federal do Tocantins, entre outras instituições. “O principal foco do Centro Agrotecnológico é a promoção de pesquisas, validação e transferência de tecnologias que promovam o desenvolvimento rural sustentável do Tocantins”, reforça o secretário de Agricultura, Roberto Sahium.

Fonte: Secom