Geral

Foto: Divulgação

A equipe técnica da Diretoria de Patrimônio da Fundação Cultural do Tocantins retornou, esta semana, ao município de Formoso do Araguaia, para acompanhar as obras de reforma do prédio onde será implantando o Museu dos Povos Indígenas da Ilha do Bananal – YNY HETO, Javaé e Karajá.

Ontem, terça-feira, 20, a equipe da FCT também fez um trabalho de pesquisa de memória histórica junto à comunidade indígena na qual fundamentará sobre o tipo de acervo permanente que será exposto no Museu.

A reforma do Museu é fruto do convênio firmado entre o Governo do Estado, por meio da Fundação Cultural, e Governo Federal, através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional-Iphan, no valor de R$ 45 mil, sendo destes recursos, R$ 5 mil a contrapartida do Governo Estadual. O imóvel para instalação do Museu é da Prefeitura de Formoso do Araguaia e o acervo ficará por conta da Fundação Cultural do Tocantins.

O Museu dos Povos Indígenas da Ilha do Bananal tem como objetivo criar um espaço para divulgar a cultura indígena, contribuindo no processo de conscientização da preservação e conservação cultural e ambiental dos povos Javaé e Karajá, contribuindo também para o fortalecimento do turismo e a geração de renda das comunidades.

A equipe de técnicos da Fundação Cultural é formada pelo historiador Luciano Pereira e pelo aquiteto Lúcio Paulo Aires, que retornarão de Formoso nesta quinta-feira, 22.

Mobiliário

O presidente da Fundação Cultural do Tocantins, Sérgio Augusto Pereira Lorentino, homologou, no dia 13 de outubro, a licitação, na modalidade de pregão presencial, para aquisição de mobiliário (bancada, armário, cadeira, etc.) para o Museu Indígena. A empresa vencedora foi Matéria Prima Comércio Varejista de Material para Marcenaria Ltda e o valor global é de R$ 23.650,00.

Fonte: Ascom Fundação Cultural