Geral

Foto: Divulgação

O 3º Seminário de Contabilistas e a Indústria Tocantinense, que aconteceu nesta quinta-feira, 22, em Gurupi, superou as expectativas dos organizadores. Mais de 150 pessoas participaram.

“Esperávamos em torno de 80 pessoas, mas só inscritos foram 144”, explica, Socorro Lira, responsável pela arrecadação do Sistema Fieto e uma das responsáveis pelo evento.

O palestrante Donizeth Silva, ex-subsecretário de Indústria e Comércio do Estado do Tocantins e auditor fiscal, falou sobre o tema Incentivos Fiscais, Refis e Legislação Tributária. Segundo ele, essas informações são essenciais para esse público em função da complexidade do sistema tributário. O Seminário, conforme explicou, repassa informações fundamentais para que os profissionais da área contábil melhorarem a qualidade dos seus serviços, o que resulta também na melhoria da performance das empresas. Com isso, elas passam a ter um ganho em relação às funções que são feitas, e que as vezes cometem algum erro por não conhecer o sistema. “É importante essa iniciativa da Fieto e parceiros porque estimula as pessoas a buscarem mais informações”, acrescenta Silva.

Luis Paulo Schwarz, gerente nacional de fiscalização do Sistema Indústria e representante junto a Receita Federal do Brasil durante revisão de instruções normativas e CNAE, falou sobre Legislação Previdenciária. De acordo com Schwarz, tem-se detectado desvio de contribuição para o Sistema Indústria por parte de empresas, e isso acontece por falta de conhecimentos necessários dos contadores. “Estamos sempre trabalhando para recuperar esses recursos que desviam. Esse trabalho em Gurupi vai ajudar a revertermos a situação de empresas mal enquadradas, também aquelas que têm algum débito com a Receita. Por isso estamos trazendo algumas informações sobre a Lei n. 11.941 que é o novo Refis, o da crise, onde a empresa pode aproveitar para regularizar sua situação com reduções significativas de multas e juros, e assim colocar em dia suas dívidas”, esclarece.

Schwarz acredita que hoje os profissionais estão mais atentos, a evidência, segundo ele, está no número expressivo de pessoas presentes ao evento em Araguaina, cerca de 150, e agora em Gurupi. “A arrecadação feita de forma errada pode ter danos muito pesados para o contribuinte. A Legislação se atualiza, e os profissionais têm que ficar atentos, pois não se pode ficar fazendo de forma errada, desviando os recursos de uma entidade para outra. Isso pode ter consequências muito danosas para a empresa, porque quando a Receita fizer uma fiscalização ela vai mandar regularizar, mas também vai ter punição. A empresa terá que pedir a devolução para quem recolheu indevidamente e pagar com juros e multas para quem é devida aquela contribuição”, completa o palestrante.

Edilson da Silva Barros, contator há dois anos e que participou do Seminário no ano passado, acredita que o mesmo ampliará seus conhecimentos. Por isso considera importante. Já Lourivan Cardoso da Silva, que trabalha na área administrativa de uma indústria local há 10 anos, admite que as informações serão essenciais para seu trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesi