Geral

Foto: Fabiola Dias

O presidente Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins, Stalin Beze Bucar, doou na manhã de ontem, quarta-feira, 28, mais de 200 quilos de pescado apreendido aos moradores do setor Aeroporto em Miranorte, a 99 quilômetros de Palmas.

Ao todo foram cerca de 200 famílias beneficiadas com o pescado apreendido na terça-feira, 27, em Paraíso do Tocantins. Para o trabalhador Edson Ribeiro, pai de quarto filhos, o pescado veio em boa hora, “hoje vamos comer peixe de mistura”, disse satisfeito com o peixe na mão.

Também contente com a doação de peixes, a moradora Domingas Pereira contou que o pescado vai servir de alimento a 15 pessoas da casa, dentre eles filhos, netos e noras. “Hoje todo mundo lá em casa vai comer peixe” garantiu.

Para o presidente Stalin Júnior, “com este trabalho queremos mostrar à sociedade que o Naturatins não é somente um órgão de fiscalização, mas também um órgão voltado para a preocupação social, atendendo as comunidades carentes”, afirmou Stalin Júnior acrescentando ainda que, Miranorte faz parte dos anseios e nas metas do governo do Estado.

Para as doações, o órgão atua em conformidade com o Decreto nº 6.514 de 2008, e a Instrução Normativa Naturatins nº 1, que dispõe sobre os procedimentos de doação de produtos e subprodutos perecíveis e não perecíveis da fauna, flora e de recursos pesqueiros apreendidos.

As doações contaram ainda com as presenças do prefeito e vice-prefeito da cidade, Abraão Costa Martins e Welington Souza, respectivamente. “Agradecemos ao órgão e ao governo do Estado a atenção especial dada à população do setor Aeroporto e de Miranorte”, afirmou o vice.

A apreensão

O pescado foi apreendido na terça-feira, 27, no posto fiscal de Paraíso durante uma operação conjunta entre a Unidade Regional do Naturatins de Paraíso do Tocantins e a PRF - Polícia Rodoviária Federal. Os peixes vinham do município de Lagoa da Confusão, região pesqueira do Estado, e tinha como destino o comércio de Palmas. Dentre o pescado apreendido estavam piroscas e pintados, espécies que têm a pesca proibida no Tocantins. O flagrante por transporte irregular e espécies proibidas implicou na multa de R$ 5 mil ao suposto proprietário da carga.

Fonte: Ascom Naturatins