Geral

A emenda do Senado ao projeto de lei 1/07 que estabelece reajuste para aposentadorias igual ao aumento do salário mínimo não pôde ser votada ontem, embora estivesse na pauta da sessão plenária. O adiamento da votação aconteceu porque o relator da Medida Provisória 466/09, que tranca a pauta, pediu prazo de uma sessão para apresentar parecer. Isto impediu a análise do PL 1/07. Aposentados lotaram as galerias do plenário da Câmara dos Deputados esperando que a proposta fosse aprovada ontem, dia 04 de novembro.

Para o deputado federal Moisés Avelino, se este projeto de lei for aprovado, “o Congresso vai corrigir uma grande injustiça com os aposentados, tendo em vista, que durante suas vidas trabalharam e lutaram, portanto, nada mais justo que tenham os mesmos direitos daqueles que estão em atividade”, disse.

Apesar do adiamento da votação, Avelino fez questão de declarar que seu voto será a favor da matéria, no entanto, ele afirma “ainda vamos enfrentar dificuldades para essa aprovação aqui na Câmara, em razão dos interesses divergentes”.

A regra também vai beneficiar mais de 8 milhões de aposentados e pensionistas que ganham acima do salário mínimo. Entre as discussões na Câmara o argumento de que o reajuste pode comprometer as contas da Previdência, para Moisés Avelino é verdadeiro, mas o Deputado ressalta: “A Previdência já está em crise há muito tempo, não por causa dos aposentados; mas sim pela má gestão dos recursos ao longo do tempo”.

Ele acrescenta ainda, que “se aprovado, esse projeto de lei melhorará em muito o poder de compra dos aposentados e com certeza injetará mais recursos no comércio, e muitas áreas da sociedade serão beneficiadas”, explica o Parlamentar.

Fonte: Assessoria de Imprensa Moisés Avelino

Por: Redação

Tags: Aposentados, Moisés Avelino