Geral

Foto: Nielcem Fernandes

Palmas sedia de ontem até esta sexta-feira, 6, no auditório da Assembleia Legislativa do Tocantins, o encontro da região norte para discussões e construção do Plano Nacional da Educação para os próximos 10 anos. Entre os painéis de debate a Confederação Nacional da Indústria (CNI), representada por Alberto Araujo, assessor do Senai Nacional, expôs no primeiro dia de discussões temas de interesse da educação profissional, onde os parlamentares e sociedade presentes puderam ouvir a opinião da indústria em relação ao Plano Nacional da Educação.

“A participação da CNI é fundamental neste debate porque nós estamos falando em educação, desenvolvimento e inclusão. Neste momento convocamos todas as forças mobilizadas da sociedade, que possam dar sua contribuição e pensar num Brasil desenvolvido, com articulações daquilo que elas constituem no seu fazer, pensando qual é o Brasil que nós queremos. Se fizermos essa caminhada juntos não há coisa melhor”, comenta a deputada Maria do Rosário, presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.

Leomar Quintanilha, secretário estadual de Educação do Tocantins, destaca a contribuição do setor industriário para o desenvolvimento da educação, onde, segundo ele, tem contribuído, sobretudo, na capacitação profissionalizante. “É um dos setores mais interessados no aprimoramento do conhecimento no nosso estado. Vamos apresentar as nossas propostas, oferecer subsídios para essa discussão que tem caráter nacional”, garante.

Em sua apresentação Alberto Araujo explicou sobre a necessidade da ampliação da escolaridade dos cidadãos, para que possam acompanhar o ritmo de desenvolvimento da indústria no momento. “Um aspecto que nós sempre enfatizamos é que a indústria brasileira necessita de profissionais com maior nível de escolaridade. Além disso, é preciso ampliar a oferta de educação profissional, mas não de forma indiscriminada, sem vinculação com o setor produtivo”, diz o represente da CNI.

Esses encontros, já realizados nas regiões Centro-Oeste (Cuiabá), Sudeste (Belo Horizonte), Sul (Porto Alegre), Nordeste (Fortaleza) e agora no Norte (Palmas) acontecerá também em Salvador, visto que as demandas por qualidade em educação são maiores na região Nordeste. Em dezembro deste ano acontece o encontro nacional em Brasília.

Fonte: Unidade de Comunicação Institucional Fieto