Geral

A Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembleia Legislativa de Minas Gerais aprovou ontem, terça-feira, 24, o requerimento apresentado pelo deputado estadual Chico Uejo (PSB) de repúdio ao envolvimento da presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO), no esquema classificado pelo Ministério Público Federal do Tocantins como sendo de “grilagem pública” no município de Campos Lindos, Estado do Tocantins.

A denúncia foi veiculada em matéria desta semana pela revista Carta Capital. Os deputados da Comissão presentes na reunião - Antônio Carlos Arantes (PSC), Chico Uejo (PSB) e Vanderlei Jangrossi (PP) - assinaram pela aprovação.

A revista responsabiliza a senadora por um esquema de apropriação de terras de agricultores familiares. Segundo Uejo, é necessário tratar a questão com a mesma severidade que os ruralistas tratam os atos considerados criminosos, do Movimento dos Sem-terra. O deputado classificou ainda como injusta e covarde a expulsão dos pequenos agricultores da região de Campos Lindos.

O documento solicita também o afastamento temporário da senadora de sua função de presidente da CNA até que as denúncias sejam esclarecidas e julgadas. Uejo afirma que a partidarização e utilização de instituições como sindicatos, federações e confederações para fins de promoção eleitoral é um desserviço para a agricultura. “A postura da senadora Kátia Abreu não condiz com a de presidente de uma instituição tão importante quanto a Confederação Nacional da Agricultura”, completou.

Por: Redação

Tags: Campos Lindos, CNA, Kátia Abreu