Campo

Foto: Divulgação

Os agricultores familiares da região Central do Estado, principalmente os produtores de leite e de queijo artesanal, participam do curso de Boas Práticas de Fabricação na Produção de Alimentos. O encontro, que acontece no auditório da Delegacia Regional do Trabalho, em Palmas, ensina os manejos adequados, incentivando os agricultores a oferecer produtos mais saudáveis ao mercado consumidor.

O minicurso é uma das ações do Plano Estratégico da Agroindustrialização dos Produtos da Agricultura Familiar, criado pelo Conselho Estadual de Sanidade Agropecuária, integrando os órgãos responsáveis pela sanidade animal e vegetal no Tocantins. A proposta é orientar os agricultores e técnicos no que diz respeito à formação multidisciplinar, possibilitando o intercâmbio no serviço de inspeção sanitária nos municípios tocantinenses. O Plano, na fase inicial, continuará em 2010, abrangendo outras atividades para melhoria da qualidade dos alimentos.

Segundo a diretora de Produção Animal da Seagro, Érika Jardim, a capacitação é resultado de outras reuniões que foram realizadas em 2009. “Este curso é o início de muitas atividades que serão desenvolvidas neste setor. O que almejamos é a garantia de um produto saudável à população”, enfatizou.

O sucesso na produção de leite exige a observação criteriosa de uma série de práticas. Muitas delas simples e ao alcance do produtor. Os pesquisadores da Embrapa Gado de Leite recomendam aos agricultores cuidados na ordenha, alimentação, manejo, reprodução, sanidade e indicadores econômicos. Portanto, os sistemas de produção devem ser sustentáveis e competitivos e viáveis ao consumo humano.

Busca de melhorias

Com atenção voltada para a melhoria da qualidade do leite em sua propriedade, o agricultor Maurício Rodrigues, morador do município de Miranorte diz: “Este curso é fundamental para nós produtores, devemos nos adequar às normas. Quem não segue as regras das boas práticas fica fora do mercado”, destacou. Rodrigues possui uma produção de 80 litros de leite por dia. A sua expectativa é aumentar a produção e chegar a 150 litros diariamente.

A agricultora Nilza Machado Santana, trabalha no ramo há 12 anos. Ela produz boa parte do leite para fabricação do queijo, outra parte compra de agricultores da região, chegando a 130 litros de leite para a produção de queijo. “A minha intenção é investir na estrutura da minifábrica. Já conquistei uma clientela no comércio de Palmas, portanto quero ampliar o meu negócio”, projetou. Nilza possui também uma propriedade em Miranorte do Tocantins.

Fazem parte do Conselho, a Seagro, SFA - Superintendência Federal de Agricultura, UFT - Universidade Federal do Tocantins, Adapec - Agência de Defesa Agropecuária, Ruraltins - Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, Prefeitura de Palmas, Vigilância Sanitária do Estado e de Palmas, entre outras entidades.

Fonte: Secom