Meio Ambiente

O governador Carlos Henrique Gaguim anunciou na terça-feira, 15, em Compenhague, Dinamarca, a implantação do primeiro projeto de REDD – Redução de Emissões por Desmatamento Evitado e Degradação do Cerrado. O projeto, denominado Gênensis, é um mecanismo de remuneração pela prestação de serviços ambientais e está sendo implementado pelo Instituto Ecológica. Localizado em Palmas, o Projeto Gênesis encontra-se na fase final de verificação pelos institutos Imaflora e Rainforestry Alliance.

O anúncio do projeto foi feito durante o VII Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizado durante as discussões da COP 15 – Conferência das Nações Unidas para Mudanças Climáticas. “O maior desafio do Estado do Tocantins atualmente é unificar as estratégias de desenvolvimento sustentável em torno de uma visão compartilhada de futuro para o país, aos Estados da Federação, em especial os da região Norte”, disse o governador Carlos Gaguim.

O pagamento por serviços ambientais foi uma das principais reivindicações dos nove governadores de Estados que compõem a Amazônia Legal, durante o último Fórum, realizado em outubro, no Amapá.

Carlos Gaguim explicou aos participantes do Fórum o que o governo do Tocantins vem fazendo para facilitar o investimento em projetos de redução de emissões de gases no Estado. Destaque para as ações que tornam o meio ambiente como oportunidade e recurso; redução dos focos de incêndio; diminuição do desmatamento ilegal, através de programas de educação ambiental; implantação do primeiro projeto de sequestro de carbono do Brasil, em 1997; projeto de troca de combustível da indústria cerâmica; o plantio de um milhão de mudas em 450 dias e o fortalecimento dos órgãos ambientais de controle e ficalização.

Commodities Ambientais

Ainda na terça-feira, 15, o governador Carlos Gaguim reuniu-se com a diretora executiva da TZ1, maior sistema de registro de commodities ambientais do mundo, Helen Robinson, que se comprometeu a cooperar com o Tocantins para a criação de um programa de desenvolvimento de novas commodities ambientais, como água, biodiversidade, conservação de solos, entre outras. “Estas ações estarão contempladas em um plano estratégico de inovações combinando desenvolvimento local e sustentabilidade, a ser coordenado pela Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e Meio Ambiente”, adianta Gaguim.

Commodities ambientais são mercadorias originadas de recursos naturais em condições sustentáveis e são os insumos vitais para a manutenção da agricultura e da indústria. Elas constituem um complexo produtivo que envolve sete matrizes: água, energia, minério, biodiversidade, madeira, reciclagem e controle de emissão de poluentes (água, solo e ar).

Na pauta de encontros, o governador reuniu-se também com o diretor executivo do Instituto EDP Energias do Brasil, Pedro Sirgado. O Instituto EDP já desenvolve ações sociais no Tocantins, como o projeto Letras da Luz, em parceria com a Fundação Victor Civita, que incentiva a leitura nas crianças por meio do teatro. Gaguim pediu apoio ao Instituto para o programa Pioneiros Mirins.

 

Fonte: Secom