Opinião

Foto: Núbio Brito

"O homem do povo", assim era conhecido Alfredo Pereira de Melo ou ainda Alfredo Baiano, ex-vice-prefeito de Aliança do Tocantins e atualmente vereador. No auge dos seus 68 anos de idade, era um 'filósofo sem formação'. Tendo cursado apenas a 4ª série do ensino fundamental era, também, um administrador nato e de pulso forte.

Na Bahia, ainda jovem, Alfredo vivia na zona rural. No Tocantins, antigo norte goiano, seu dia a dia era da lavoura para a pecuária, tornando-se um dos homens mais bem sucedidos de Aliança. Quando interrogado sobre ser o dono da cidade, dizia com modéstia, "Isso é bondade do povo", sobre as dezenas de imóveis espalhados pelo lugar, "Isso é verdade, temos uns terreninhos por aí".

Mas não foi sempre assim. O homem do povo passou por dificuldades no passado. Relatava que já havia sofrido na pele muita humilhação quando chegou a Aliança, cidade em que vivia desde 1961. Alfredo carregou fardos pesados e quando precisava de avalista para adquirir empréstimos no banco, era um 'sacrifício'. Dizia que cansou de ir a pé para sua fazenda, com 30, 40 quilos de alimentos nas costas e muitas vezes alguém passava e não dava carona. Pessoa que ele preserva a identidade, dizendo apenas que hoje é um amigo. Sempre tinha algumas frases prontas como: "Para aqueles que me jogaram espinhos, jogo flores". O homem do povo dizia que nessas viagens à pé, quando estava muito cansado, parava debaixo das árvores e pedia a 'Deus' que, se melhorasse a condição financeira, ele não deixaria ninguém na estrada. Em seu carro ta escrito 'carro do povo' e confessava que tinha gente que o criticava, mas só ele sabia o compromisso que tinha consigo mesmo.

Na política, Alfredo Baiano entrou cedo. Dizia-se agradecido a Antônio Luis Costa (in memorian), pelas 'orientações'. Em 1979 assumiu seu primeiro cargo público, o de subprefeito, na época Aliança era distrito de Gurupi. Depois da emancipação, foi vereador por quatro mandatos seguidos, depois foi vice-prefeito, e recentemente eleito, novamente vereador.

Bem despojado, e como tudo indica, um galanteador incondicional, Alfredo Baiano teve nove filhos, seis netos e uma bisneta. Do primeiro casamento, com Inês Vieira, duas filhas e um filho. Com a esposa Filomena Pereira dos Santos, a dona Filó, com quem viveu mais de 30 anos, três filhas. E de umas 'besteiras aprontadas' como ele próprio relatava, teve mais três filhos. Ele falava que todos eram bons e aceitava cada um do seu jeito, mas que sua maior riqueza era os netos, principalmente, o Alfredo Neto e o Cícero que eram criados por ele, pois os meninos o confortavam nas horas de agonia.

Alfredo Pereira de Melo, 68 anos, nasceu em Itaberaba BA. Veio em 1951 da Bahia para Ceres, depois Cariri, depois Aliança, em 1961. Figura simples, palavras mais simples ainda. Homem surrado pela vida, mesmo assim agradecido por tudo que Deus lhe havia dado. Conversar com esse moço era fácil, bastava chegar a sua cidade e procurar a qualquer morador que a informação sobre seu paradeiro era imediata.

Alfredo Baiano morreu na manhã do dia 13 de janeiro de 2010, em Aliança do Tocantins, vitima de uma parada cardíaca.

Depoimentos:

Núbio Brito – Jornalista

“Confesso que admirava esse moço e passei a admirá-lo muito mais. Certa vez quando o convidei para uma entrevista, ele foi logo me perguntando: “Vou ter que pagar alguma coisa?”“.

Marcello Costa – Eng. Agrônomo

“Morre o “homem do povo”, como o mesmo gostava de se alto intitular. Ficam as histórias de um político único, chegando a se tornar figura folclórica dotado de uma forma antiga e bem paternalista de fazer política. Mas, todos se lembrarão de suas anedotas e da inteligência desse moço que transformou dificuldades em oportunidades e que vivia e fazia política todos os dias.”

José Rodrigues (Zé Piqui) – Prefeito de Aliança

“Vejo que Alfredo Baiano foi uma pessoa que contribuiu muito ao povo de Aliança. Como ser humano, sempre ajudou as pessoas mais simples, como político contribuiu com o desenvolvimento do município. Nesse primeiro ano de nosso mandato, Alfredo Baiano, mesmo sendo de oposição, colaborou e esteve sempre a disposição na busca de melhorias para a cidade.”

Benvindo Pereira de Souza – Amigo

“Aliança perdeu um grande homem, seu mais importante político. Alfredo Baiano, sempre enxergou os as pessoas sem qualquer distinção”.