Estado

Foto: Benhur de Souza

Reunidos na sala da presidência, na tarde desta segunda-feira, dia 8, o chefe do Legislativo, deputado Júnior Coimbra (PMDB), e os parlamentares Josi Nunes (PMDB) e Sargento Aragão (PPS) mediaram o primeiro encontro entre representantes do governo e do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sintet), após o início da paralisação da categoria, deflagrada hoje. O secretário da Educação, Leomar Quintanilha, informou que o Executivo ofereceu uma proposta de 16,8% sobre os vencimentos da classe.

Leomar explicou que o realinhamento será concedido de modo diferente da proposta anterior. Desta vez, os educadores vão receber 2% de reajuste em maio e outros 14,8 % em junho deste ano.

Quanto à nova oferta, o presidente do Sintet, Roque Santiago, anunciou que vai levar a proposta ao conhecimento dos filiados que então devem decidir, em assembléia geral, o futuro do movimento grevista. Santiago declarou ainda que a data da reunião, anteriormente prevista para a próxima semana, poderá ser antecipada para os próximos dias.

Já o presidente da Assembléia informou que, em virtude da nova proposta do Executivo, o projeto que, atualmente, tramita na Casa não será apreciado nesta terça-feira, dia 9. “Vamos aguardar até que a discussão entre governo e sindicato chegue a um acordo que está cada vez mais próximo”, declarou Coimbra.