Geral

Foto: Auro Giuliano

Capacitar e aperfeiçoar profissionalmente 585 mulheres artesãs das regiões do Bico do Papagaio e Jalapão são as principais propostas do projeto “Trabalho, artesanato, turismo e autonomia das Mulheres”, lançado na tarde de ontem segunda-feira, 08, na sala de reuniões do Palácio Araguaia. O evento contou com a presença da primeira-dama do Tocantins, Rose Amorim, do presidente da Fundação Cultural do Estado, Sérgio Augusto Pereira Lorentino, da deputada federal Nilmar Ruiz (PR), da deputada estadual Josi Nunes (PMDB), prefeitos, artesãs e demais autoridades.

O projeto é uma ação do Governo do Estado, por meio da Fundação Cultural, e Governo Federal, através da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, cujo plano de trabalho ficará a cargo do Sebrae-TO, instituição contratada pela FCT. Tem como finalidades viabilizar a capacitação profissional das mulheres por meio de oficinas de criação e intervenção de designer, mostrando novas propostas de trabalho e possibilidades demandadas pelo mercado; estimular a organização econômica e sócio-política das mulheres fortalecendo os processos de gestão e comercialização dos artesanatos produzidos; e articular ações com as instâncias governamentais e não-governamentais envolvidas na criação de centros de turismo e de artesanato.

O presidente da Fundação Cultural, Sérgio Lorentino, fez a apresentação do projeto, ressaltando que além de propiciar a capacitação das mulheres que trabalham tradicionalmente com o artesanato em capim dourado, buriti e babaçu, a Fundação Cultural ainda doará o maquinário para a produção artesanal, sendo adquiridas 50 máquinas de costura e 12 tornos mecânicos para corte do coco babaçu. “A FCT sente-se honrada em desenvolver um projeto como este que não é uma ação política, mas sim de cidadania beneficiando as importantes representantes da sociedade tocantinense. O projeto vai buscar na atividade deste talento natural, algo que pode mudar a realidade das artesãs do nosso Estado”, ressaltou.

Representando o governador do Estado no evento de lançamento, a primeira-dama, Rose Amorim, ressaltou que o projeto “Trabalho, artesanato, turismo e autonomia das Mulheres” é de extrema importância por fomentar a autonomia profissional e conseqüentemente financeira das mulheres do Bico do Papagaio e Jalapão, representando também a melhoria de vida de toda a família, com uma ação de capacitação e valorização da mulher tocantinense.

O diretor superintendente do Sebrae-TO, Paulo Henrique Massuia, fez a apresentação da operacionalização do Plano de Trabalho do Projeto. Em seu pronunciamento ressaltou a importância econômica e social do artesanato e da produção artesanal no Brasil e no Tocantins ressaltando que a aquisição e doação de maquinário e os tornos vão atender a demanda das mulheres artesãs tocantinenses, parabenizando a ação do Governo do Estado.

A deputada federal Nilmar Ruiz, emocionada, disse que o lançamento do projeto nesta segunda foi o evento, em que a parlamentar presenciou, mais significativo de defesa das mulheres realizado na data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, por ser um projeto que vai, através da autonomia, mudar ou melhorar as condições de vida das mulheres das regiões atendidas. “Foi um momento muito esperado, sendo agora um sonho concretizado de desenvolver o projeto por meio da FCT e Sebrae, contando com recursos de emenda da parlamentar”, disse.

O projeto

Serão contempladas mulheres artesãs, com baixa ou nenhuma renda, pouca escolaridade e que vivem em situação de vulnerabilidade sócio-econômica nas regiões do Jalapão e do Bico do Papagaio, abrangendo os municípios de Mateiros, São Félix, Lizarda, Rio Sono, Novo Acordo, Lagoa do Tocantins, Santa Tereza do Tocantins, Sampaio, Axixá do Tocantins, Carrasco Bonito, São Miguel, Buriti do Tocantins e Itaguatins.

O projeto contará com recursos de R$ 660.000,00 com contrapartida da Fundação Cultural do Tocantins.

Cursos

O “Trabalho, artesanato, turismo e autonomia das Mulheres” contempla 39 oficinas de intervenção de design e 13 capacitações em gestão da produção. Serão oferecidos os cursos: Designer em jóias de capim dourado, visando desenvolver o potencial criativo das artesãs, traduzindo-o em peças com maior valor agregado, proporcionando o melhoramento dos produtos confeccionados; Aproveitamento do coco babaçu, para criação de peças utilitárias, decorativas, de vestuário e acessórios de moda feitas artesanalmente do babaçu; Exposição e comercialização do produto artesanal, possibilitando desenvolver habilidades necessárias para analisar e buscar soluções que auxiliem na otimização de espaços, bem como na organização de produtos e peças promocionais nos pontos de venda; Organização e Gestão da Produção, possibilitando a ampliação da renda a partir do desenvolvimento de competências para gerenciar atividades relacionadas aos diferentes setores da atividade cooperativa; integrar as competências de trabalho, aliada à mobilidade profissional; Direitos das Mulheres, relações de gênero, raça e etnia, trabalhando questões como a desigualdade de gênero e raça, racismo e sexismo e violência contra a mulher e autonomia das mulheres; Artesanato em buriti, na confecção de móveis a artigos para decoração utilizando o talo do buriti como matéria- prima.

Os cursos serão ministrados por design profissionais treinados e com reconhecida experiência em sua área de atuação.

Fonte: Ascom Fundação Cultural