Geral

Foto: Divulgação

Durante a sessão da Câmara Municipal de Palmas na manhã desta quarta-feira, 24, o secretário municipal de infra-estrutura, Jair Junior, esteve presente no plenário para apresentar a prestação de contas referentes aos contratos firmados entre a Prefeitura de Palmas e a empresa Delta S.A.. A apresentação destas contas não agradou a bancada de oposição da Casa que questionou o secretário acerca de irregularidades nos contratos.

De acordo com o vereador Valdemar Júnior (DEM), uma das questões que o secretário não soube responder foi por que a Delta S.A ganhou a licitação de contrato no ano de 2009, se estava naquele momento com três certidões negativas vencidas. Segundo o vereador, isso já é indício que há vício na licitação, uma vez que a certidão negativa é necessária para qualquer tipo de licitação.

Outro ponto levantado pelo vereador foi o da diferença de valores financeiros entre os contratos firmados com a empresa responsável pela limpeza municipal. jair Júnior afirma que o contrato inicial de número 10/2006 com a empresa, era inicialmente de R,5 milhões com prazo de vigor de 24 meses. “Logo após, houve uma mudança no contrato, aumentando o valor para R,7 milhões com redução do prazo para 570 dias”, informou o democrata.

Valdemar Junior afirmou que o processo já está em andamento no Ministério Público Estadual e que serão levadas informações ao procurador geral para que os questionamentos sejam respondidos oficialmente. Segundo o vereador, a explicação do secretário não convenceu e, “conforme a conversa com o MP, vamos dar entrada e pedir a instauração de uma CPI da licitação da Delta na capital”.