Geral

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 14, o secretário de infra-estrutura do Estado, Rômulo do Carmo, esclareceu questões referentes às obras paralisadas de pavimentação da TO-239, que liga os municípios de Itacajá e Tupiratins.

Segundo Rômulo do Carmo, as obras na TO-239 foram orçadas em mais de R$ 25 milhões, sendo que até o ponto em que está, já foram aplicados pouco mais de R$ 15 milhões, cerca de 60% do total. O secretário justificou que o trecho mais caro da pavimentação, que é o desmatamento e a terraplanagem já foi concluído, e que por este motivo a maior parte da verba já foi aplicada.

O secretário informou ainda que desde que a obra foi paralisada, ocorreram danos, principalmente por causa do período chuvoso e que isso acarretou em aumento no valor final da construção. De acordo com Carmo, esses gastos podem chegar a 20% do que já foi pago. “R$ 2 milhões a R$ 3 milhões, em média”, afirmou. O secretário ressaltou, inclusive, que ainda pretende averiguar quem vai pagar a conta, se o governo, ou a empresa responsável pela pavimentação do trecho. De acordo com o chefe da pasta, ainda será averiguado se, do momento da paralisação, foram tomadas as devidas providências para a conservação da obra. “Se essas providências foram tomadas, quem paga é o governo. Se não, quem paga é a empresa”.

Segundo o secretário, dos mais de R$ 15 milhões já aplicados, pouco mais de R$ 14 milhões foram pagos pelo governo Marcelo Miranda e que o atual governo entrou com cerca de R$ 1 milhão. Rômulo do Carmo destacou que os problemas que acarretaram as paralisações na obra partiram do não pagamento dos compromissos firmados pela gestão anterior.

Eduardo Machado Filho

Um dos pontos levantados pela senadora Kátia Abreu (DEM), em sua entrevista coletiva na última segunda-feira, foi a participação do filho do vice-governador Eduardo Machado na Contersa, empresa responsável pela pavimentação da estrada. Na ocasião, o secretário afirmou que Eduardo Machado Filho é simplesmente procurador do empreendimento, e que pretende consultar a Procuradoria para se informar.

Conclusão da obra

De acordo com o secretário, ainda essa semana será nomeada uma comissão para avaliar e dar um parecer definitivo sobre a situação dessas obras e, após essa auditoria, era encaminhado relatório ao Ministério Público e Tribunal de Contas. Carmo destacou, entretanto, que “todos os serviços pagos foram executados”. O secretário afirmou ainda que o prazo para a finalização da auditoria será de 30 dias, podendo ser estendido por mais 30.

Após a conclusão da auditoria o secretário informou que a obra tem 720 dias para ser concluída.