Polí­tica

Foto: Dicom/AL

Eles saíram dos partidos aliados da União do Tocantins para se juntarem na base governista do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) no ano passado. Stálin Bucar saiu do PSDB alegando que foi expulso pelo ex-governador e pré-candidato Siqueira Campos (PSDB), Paulo Roberto Ribeiro deixou o DEM afirmando discriminação partidária no partido.

Agora a trajetória política dos parlamentares está nas mãos dos convencionais do PR. Conforme informou o senador João Ribeiro (PR) através de sua assessoria de imprensa, a decisão de conceder legenda ou não será dos 18 convencionais. A convenção da sigla será realizada dia 30 no Espaço Cultural junto com as outras legendas que apóiam Sqiueira.

Bucar e Paulo Roberto afirmam que quando entraram na sigla avisaram ao presidente regional, senador João Ribeiro que não voltariam para a União do Tocantins. Nas idas e voltas da política, O PR retornou para o grupo de apoio a Siqueira. Entre os utistas, a expectativa é que os dois parlamentares não tenham legenda.

Em entrevista ao Conexão Tocantins, Bucar afirmou que tem garantia que terá legenda para disputar reeleição. No entanto, reafirmou que prefere ficar sem se camdidatar do que retornar para o ninho utista. Já Paulo Roberto luta na justiça pelo direito de terminar o mandato já que o DEM alega infidelidade partidária do parlamentar por ter deixado a sigla.

Ambos com Ribeiro

Um dos argumentos dos parlamentares para ter legenda é o apoio ao senador João Ribeiro. Mesmo apoiando Gaguim, os dois afirmam que abraçarão nas bases eleitorais o nome de João Ribeiro para a reeleição. Bucar chegou também a comparar o apoio dele a Gaguim ao que o senador dará à presidenciável Dilma Rousseff (PT) mesmo estando nos partidos de base de José Serra (PSDB).