Geral

Foto: Marcio Di Pietro

Os municípios de Paranã, Jaú do Tocantins e Pedro Afonso já podem exportar animais vivos, materiais genéticos e carne bovina para a Rússia. A decisão de revogação das restrições foi comunicada nesta quarta-feira, 16, pelo Mapa - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – à Adapec – Agência de Defesa Agropecuária. Os municípios estavam impedidos de comercializar carne com o País por terem registrado focos de estomatite vesicular, doença infecciosa que acomete principalmente eqüídeos, bovídeos, suídeos e pode ser transmitida ao homem.

O embargo russo para a carne tocantinense começou a vigorar no dia 22 de setembro de 2008, quando a Rússia foi comunicada sobre o primeiro caso da doença na cidade de Paranã, Sudeste do Estado. No dia 20 de outubro, foi confirmado o segundo foco em Jaú do Tocantins, região Sul, e no dia 16 de janeiro de 2009 foi interditada a terceira propriedade com registro da doença, em Pedro Afonso, Centro-norte do Tocantins. No dia 02 de junho de 2009, o governo russo liberou as exportações de carne do Estado, limitando o embargo somente para os três municípios onde foram registrados focos.

De acordo com o presidente da Adapec, José Luciano Azevedo, a Rússia é o único país que faz restrições quanto à comercialização da carne de regiões que registram focos da estomatite vesicular. “Nosso trabalho foi rápido e eficiente para o controle dos focos, atendendo todas as exigências sanitárias recomendadas pela OIE – Organização Mundial de Saúde Animal, mas ainda assim precisávamos esperar a decisão do governo russo de liberação”, explica o presidente.

Segundo o diretor de Defesa Animal, José Emerson Cavalcante, a ciência ainda não sabe explicar a transmissão da doença, dificultando assim sua prevenção. “O cuidado maior que devemos ter é com animais onde há registro da doença, proibindo seu trânsito imediatamente”, disse.

 

Fonte: Secom