Geral

Foto: Divulgação

Mais de 60 mulheres vindas de Palmas, Paraíso do Tocantins, Pedro Afonso, Santa Maria do Tocantins, Cristalândia, Lagoa da Confusão reuniram, nos dias 29 e 30 de junho, para participarem do 3° Encontro de Mulheres Cooperativistas do Tocantins. O evento mobilizou mulheres cooperadas, esposas e filhas de cooperados e teve como proposta a criação de núcleos femininos como piloto nas cooperativas, Coapa, Ceduc, Cooperfruto, Coopernorte e Sicoob Credipar.

O núcleo feminino é um órgão consultivo e auxiliar da cooperativa e consiste em um espaço destinado às mulheres para expressarem suas opiniões e pensamentos. É também um espaço de formação técnica, humana, empreendedora e cooperativista.

Para Maria Silvana Ramos, cooperada da Ceduc, o evento concretizou um sonho que há quatro anos estava latente na cooperativa: fazer com que as mulheres participem e se sensibilizem com a causa cooperativista. O evento proporcionou também a mobilização da sociedade civil. Tereza Ibiapina, presidente do Conselho Estadual da Mulher, compareceu para prestigiar o evento. “Quando vi a magnitude do Encontro, com um grande número de mulheres organizadas, vi uma grande oportunidade para convidá-las a conhecer as ações do Conselho da Mulher do Tocantins”, explicou.

O Encontro superou as expectativas do palestrante Ney Guimarães. “Achei o grupo empenhado, corajoso e motivado. A OCB/SESCOOP do Tocantins está de parabéns pela iniciativa e eu tenho certeza que servirá de exemplo para outras unidades da OCB”. Ney acrescentou, ainda, que foram formados cinco núcleos femininos e que agora essas mulheres têm o importante papel de sensibilizar suas cooperativas e agregar novas parceiras.

A presidente da Coopercristal, Francisca Alves, compareceu ao evento e foi homenageada por seu trabalho e dedicação frente à presidência da cooperativa. “Estou muito feliz com a articulação desse evento. Vou voltar para a cooperativa com mais bagagem para trabalhar com as mulheres garimpeiras. Foi muito positivo”, afirmou.

Outra participante que se emocionou com o Encontro foi Mundica Barros, cooperada da Coopernorte. Para ela, o núcleo feminino vai auxiliar positivamente as cooperativas, porém tem que prevalecer a união entre as mulheres e a busca por um objetivo comum. “Estou muito animada para começar os trabalhos. A mulher tem um grande poder de articulação e eu tenho certeza que minha cooperativa só tem a ganhar com a implantação do núcleo feminino”.

O Encontro também teve um ar de solidariedade. Todas as participantes doaram produtos de higiene pessoal que serão entregues à Casa de Abrigo Raio de Sol, localizada na capital.

Fonte: Assessoria de imprensa