Geral

Foto: Divulgação Paulo Mourão será lançado pelo PT neste sábado, 26 Paulo Mourão será lançado pelo PT neste sábado, 26

Desde que o ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão (PT) foi lançado como candidato ao Senado na coligação “Força do Povo” surgiu um impasse em torno de possíveis tentativas de negociações do petista para tentar manter seu nome na cabeça de chapa, mesmo estando no último lugar das pesquisas.

As especulações em torno desses bastidores foram manchetes durante todo o dia em alguns veículos de comunicação.

Mourão tentou por vários lados manter seu nome na disputa mas foi vencido pela votação da executiva estadual. O deputado federal e candidato ao Senado na coligação Tocantins Levado à sério, Vicentinho Alves (PR) afirmou hoje ao Portal CT que foi procurado por Mourão que pediu ajuda e teria ainda pedido cerca de R$ 3,5 milhões à ele e ainda ao senador João Ribeiro (PR).

Ainda em entrevista ao Portal CT, Mourão negou contato com o republicano e afirma que a iniciativa para uma conversa partiu de Vicentinho.Dentre os pedidos de Mourão a Ribeiro estaria ainda uma tentativa de apoio para que o petista disputasse a prefeitura de Palmas.

Ribeiro, uma das partes envolvidas, participa de agenda fora de Palmas até o fim da tarde e a assessoria de imprensa informou que Vicentinho está autorizado pelo senador a falar sobre o impasse a ainda sobre o encontro entre os republicanos e Mourão.

Por outro lado haveria também segundo Vicentinho um desentendimento entre Mourão e o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) por causa da vaga ao Senado.

Mesmo com Mourão já lançado o Partido dos Trabalhadores pode apurar possíveis tentativas de irregularidades. O presidente regional, Donizeti Nogueira afirmou ao Conexão Tocantins que a executiva deverá se pronunciar sobreimpasse.

O presidente evitou comentar o assunto pois disse que ainda não conversou com nenhuma das partes mas destacou que não houve desentendimento entre Raul e Mourão em Brasília durante pedido da coordenação nacional do PMDB e do PT para aliança nem em Palmas durante reunião ontem para definir os rumos do partido.

Já o membro da executiva e secretário sindical da legenda, Walter Balestra afirmou em entrevista que está tomando conhecimento de todos os fatos e se houver indícios do que chamou de suposta “fraqueza ética e moral” por parte de Mourão vai acionar uma apuração.

“Se houver indícios de fraude em torno do PT, vamos buscar apurar caso haja indícios de fraude ou tentativas de negociação”, afirmou.

Balestra teve que retirar a candidatura à deputado federal com a junção com o PMDB.