Polí­tica

Foto: Divulgação Marcelo acredita em crescimento da majoritária Marcelo acredita em crescimento da majoritária

O ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) registra logo mais às 17 horas no Tribunal Regional Eleitoral sua candidatura ao Senado ao lado do petista Paulo Mourão, ambos pela coligação Força do Povo encabeçada pelo governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

Em entrevista ao Conexão Tocantins, Marcelo que lidera as pesquisas divulgadas até o momento, diz que está totalmente seguro com relação à sua candidatura, mesmo com o projeto Ficha Limpa já em vigor a partir dessa eleição. “Estou bem embasado e apoiado nessa questão jurídica”, disse.

Marcelo afirma que conversou com juristas em Brasília e ainda que está acompanhando outros casos de políticos na mesma situação. Entendendo que seu caso é diferenciado, o ex-governador conta ainda que a assessoria jurídica da coligação deu aval para que seu nome fosse registrado.

“É como tenho falado, já fui punido”, afirmou lembrando ainda que no acórdão da cassação do Recurso contra Expedição de seu diploma não houve pena de inegibilidade.

O ex-governador teve o nome incluído numa lista de 42 políticos considerados pelo Congresso em Foco como inelegíveis para esta ano. Marcelo teve o diploma cassado em 2009 pelo TSE por abuso de poder econômico.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram que os políticos condenados por órgãos colegiados antes de sancionada a Lei da Ficha Limpa também estão inelegíveis para as eleições de outubro.

Um grupo de advogados e juristas da coligação Tocantins levado à sério, encabeçada pelo ex-governador Siqueira Campos (PSDB) acredita que Marcelo não poderá se eleger em virtude da cassação.