Polí­tica

Servidores comissionados da Assembleia Legislativa cobraram do presidente da Casa, deputado Junior Coimbra (PMDB) o pagamento de um valor referente a recurso da Unidade Real de Valor dos funcionários.

De acordo com um dos advogados dos trabalhadores, Leontino Labre, são R$ 28,9 milhões, que chegaram em outubro de 2009 e deveriam ser repassados exclusivamente a todos os servidores da AL. No entanto, o advogado destacou que a verba foi utilizada para pagamento dos deputados e servidores efetivos

Labre ressaltou que pelo fato de terem sido feitos estes pagamentos, Junior Coimbra teria afirmado que não haviam sobrado recursos para o repasse aos cerca de 100 comissionados da Casa de Leis. “Os recursos vieram para pagar todos os funcionários, sem discriminação”, destacou Vasco Pinheiro de Lemos, outro representante legal dos servidores.

Segundo Lemos, foi impetrado um mandado de segurança junto ao Tribunal de Justiça do Estado, contra a Assembleia, para o pagamento destes trabalhadores, contudo, a Casa de leis entrou com um embargo de declaração para esclarecer pontos que criaram dúvidas no processo. Entretanto, Vasco afirmou que “esta atitude é apenas para protelar o pagamento”

Lemos destacou ainda que quando procurado pelos trabalhadores comissionados, o presidente da AL alegou que não havia sobrado verba para o repasse aos servidores. “Eles falaram que precisa de uma datação orçamentária, mas o pagamento é um direito nosso”, completou o advogado que foi funcionário da Casa no período previsto para o repasse do dinheiro.

Presidente ainda pretende consultar assessoria jurídica

Procurado pela imprensa, o deputado Junior Coimbra afirmou que ainda não está totalmente a par da situação e que pretende se reunir com os advogados da Assembleia para se chegar a uma definição sobre o caso. “Ainda tenho que me reunir com a minha equipe do jurídico para me orientar sobre o processo”, completou.

Junior ainda confirmou que esteve reunido com os servidores na manhã de hoje, mas que a conversa não foi em tom oficial. “Nós tivemos uma conversa rápida, em plenário mesmo”, informou.

A assessoria do presidente informou ao Conexão Tocantins que, assim que tiver maiores esclarecimentos sobre o pagamento dos servidores, entrará em contato para mais informações.