Polí­tica

Foto: Montagem

Nos próximos cinco dias a atenção das duas coligações se voltam para a análise do perfil e documentação dos candidatos majoritários e proporcionais das eleições de outubro. Com o prazo de impugnações aberto hoje pelo Tribunal Regional Eleitoral, as coligações “Tocantins Levado à Sério” encabeçada pelo ex-governador Siqueira Campos (PSDB) e Força do Povo do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) analisam a ficha dos candidatos.

O assessor jurídico da coligação de Gaguim, Sérgio do Vale, em entrevista ao Conexão Tocantins no fim da tarde afirmou que até sábado está analisando os nomes que concorrerão na chapa adversária para averiguar se há impedimento jurídico.

Ele informou que até o momento ainda não localizou na majoritária nenhuma razão para apresentar um pedido de impugnação mas que está atento.

Questionado pelo Conexão Tocantins sobre a situação dos candidatos da Força do Povo ele garantiu que todos estão em condições de elegibilidade, sem complicações. “Todos os que tinham questões pendentes já conseguiram parecer favorável, seguramente posso afirmar que todos estão elegíveis”,a firmou.

Com relação aos pedidos de impugnação oruindos da chapa adversária ele adianta que a coligação vai fazer a defesa de todos os casos levantados. Contra a coligação já tem o pedido do advogado Flávio Suarte contra o também peemedebista Rainel Barbosa que tenta uma cadeira na Assembleia Legislativa.

“Ainda não fomos notificados”, disse sobre o pedido que já protocolado no Tribunal Regional Eleitoral.

Impedimento

O advogado comentou ainda sobre um pedido de suspeição que a coligação pode entrar pedindo que o juiz eleitoral Marcelo Cordeiro não julge os pedidos de impugnação da Tocantins levado à Sério.Ele salientou portanto que pretende tomar essa atitude apenas se “se ele não se declarar impedido”, disse.

Para Sérgio não é nem necessário questionar a ligação do juiz com a senadora Kátia Abreu (DEM) uma das coordenadoras da campanha de Siqueira.