Geral

Foto: Divulgação

O coordenador geral da campanha da coligação Tocantins Levado a Sério, ex-senador Eduardo Siqueira Campos (PSDB) disse em entrevista ao Conexão Tocantins na tarde desta quinta-feira, 8, que desconhece qualquer insatisfação no grupo com a candidatura do filho da senadora Kátia Abreu (DEM), Irajá Silvestre Filho, para deputado federal.

Segundo ele, o nome do filho da senadora deve ter sido colocado na lista de candidatos apenas para caso aconteça algum problema com os outros candidatos a federal do partido, Dorinha Seabra e Júnior Marzola.

“Desconheço qualquer insatisfação ou mal estar em torno disso”, afirmou. Eduardo supõe que o nome de Irajá consta na lista apenas para “eventual substituição” por problemas jurídicos entre os candidatos.

Questionado se houve combinação entre as lideranças do grupo para que ninguém indicasse parentes, ele negou a informação. “A única família que optou por não participar de nenhuma outra candidatura foi a nossa para evitar desgaste”, afirmou completando que “isso não se aplica a outras pessoas do grupo”, disse.

A indicação do filho de Kátia teria gerado um mal estar entre os federais de outros partidos da coligação. Alguns candidatos também a federal da coligação estariam insatisfeitos e alegando inclusive que o nome de Irajá não foi discutido entre as lideranças.  “Os candidatos do DEM todo mundo já sabe que é a Dorinha e o Marzola”, frisou.

Mesmo acreditando que o nome do filho da senadora foi incluído na lista apenas para uma “existencial necessidade”, Eduardo elogiou a postura do democrata e disse que ele tem “boa formação” e “alto nível” para concorrer. Porém salientou que desconhece qualquer base eleitoral para a candidatura de Irajá.