Polí­tica

Foto: Divulgação Assessor Jurídico, Sérgio do Vale Assessor Jurídico, Sérgio do Vale

A assessoria jurídica da coligação Força do Povo encabeçada pelo governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) informou ao Conexão Tocantins que protocolou na noite desta terça-feira, 13, um pedido de impugnação contra o candidato à suplência ao Senado da coligação Tocantins Levado a Sério, João Costa.

Dentre os principais motivos para o pedido está a alegação de falta de domicílio eleitoral do advogado que segundo informações reside em Brasília.Esse fato, segundo a coligação “não lhe garante a honra de declarar-se domiciliado no Tocantins”, consta no pedido.

“Como sabido, o Impugnado, na condição de advogado, milita esporadicamente na Justiça do Estado do Tocantins, mantendo suas raízes, tanto profissionais como familiares, fincadas em Brasília-DF”, alega a coligação no pedido.

Segundo ainda a coligação, as declarações prestadas pelo advogado perante a Justiça Eleitoral quando preencheu o Requerimento de Alistamento Eleitoral não são verdadeiras.

João Costa declarou que reside em Palmas na 110 Sul, Alameda 03, lotes 04 e 06, fazendo juntar declaração prestada pela Sra. Kátia Terezinha Coelho da Rocha, onde esta afirma que sua permanência no imóvel é de forma gratuita.

“O imóvel onde o Impugnado garante residir é sim de propriedade da Senhora Kátia Rocha, que por vários anos nele habita, sem, contudo, desocupá-lo por um único instante sequer, constituindo-se uma inverdade qualquer afirmação no sentido de que o referido imóvel foi ou vem sendo também utilizado como residência pelo Impugnado, não podendo, por conseguinte, persistir como sendo ele o domicílio eleitoral declarado”, consta no pedido da coligação.

Os ministros do TRE vão analisar as informações e decidir se o advogado continua ou não como 1º suplente do candidato Vicentinho Alves (PR).

Com informações da Assessoria Jurídica da coligação Força do Povo