Geral

Foto: Conexão Tocantins

O advogado e suplente de senador da coligação Tocantins Levado a Sério, João Costa foi alvo de um impasse na manhã desta quarta-feira, 14, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Após deixar a sede da Polícia Federal por volta das 14h20min o advogado apenas afirmou que mais tarde em coletiva vai explicar o acontecido.

Veja a cobertura do caso:

Segundo as informações apuradas pelo Conexão Tocantins, o advogado foi à sede do tribunal tentar arrancar uma página do processo de ação de impugnação que o PSDB entrou contra o candidato da coligação Força do Povo, Carlos Henrique Gaguim (PMDB) na noite desta terça-feira, 13.

Ao tentar arrancar a página o advogado foi impedido por uma funcionária do TRE que após discutir com o candidato a suplente de senador teria sido vítima de uma queda.

Todo o episódio aconteceu numa sala do Tribunal. Em virtude da atitude do advogado, o TRE acionou a Polícia Federal.

Desde as 11h42 o advogado e a funcionária foram para a  delegacia prestando depoimento sobre o caso. João Costa saiu escoltado pela Polícia federal do local.

A delegada plantonista Susana Paes informou ao Conexão Tocantins que o advogado foi ouvido pelo delegado Hugo Raff.

O TRE cancelou a entrevista com o secretário geral e distribuiu apenas nota à imprensa onde afirma que só se pronunciará após apuração dos fatos.

Veja a nota:

"O Tribunal Regional Eleitoral informa por meio de sua assessoria de comunicação, que diante do incidente ocorrido no balcão de consultas à processos da secretaria judiciária e gestão da Informação, na manhã desta quarta-feira, 14, por ocasião do processamento de registro de candidaturas, o caso foi encaminhado para a Polícia Federal juntamente com os envolvidos, para a adoção das medidas cabíveis.

O Tribunal Regional Eleitoral informa, ainda, que somente se prounciará após a apuração dos fatos"

Por: Maria José Cotrim e Phillipe Bastos

Tags: Carlos Gaguim, João Costa, Polícia Federal, Tribunal Regional Eleitoral