Polí­tica

Foto: Divulgação Eduardo deve visitar mãe nesta quarta Eduardo deve visitar mãe nesta quarta

O ex-senador e coordenador da campanha do ex-governador Siqueira Campos (PSDB), Eduardo Siqueira Campos (PSDB) disse ao Conexão Tocantins que não acredita na possível debandada de membros do grupo para a campanha do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

Gaguim disse hoje em entrevista que receberá 30 adesões de candidatos e lideranças do grupo de Siqueira. “Há muitas coisas que o dinheiro não compra”, afirmou Eduardo.

O coordenador diz que não há insatisfação no grupo. “Nossa campanha vai muito bem, a campanha está nas ruas, nós temos efetivamente o que mostrar”, disse. Eduardo falou ainda depois de criticar pontos do governo, que falta credibilidade no governo.“O nível de credibilidade é zero”, disse.

Eduardo falou ainda que é preciso saber que lideranças são essas que Gaguim disse que receberá apoio. “ É preciso saber, porque 30 no universo de 900 mil eleitores é uma movimentação apenas de mais um ponto pra cá outro para lá”, conta.

Marzola nega

Um dos nomes tidos como certo na base de Gaguim é Júnior Marzola (DEM), presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Tocantins (FAET). Em entrevista ao Conexão Tocantins há pouco, Marzola disse que não está nada certo sobre seu apoio. “Isso é só especulação não há nada disso, o que eu decidirei comunicarei à imprensa”, falou.

Tom de críticas

Durante toda a entrevista Eduardo falou de fatos que não aprova na atual gestão e questionou ainda os reais motivos pelo qual o PT depois de fazer a convenção do partido desistiu da candidatura e compôs com Gaguim. “O uso da máquina, a oferta financeira, a pressão que vem sendo exercida por essa tentativa de compra do eleição ela é sentida na rua”, frisou.

“Lamentavelmente é um mundo que as vezes o eleitor não conhece”, completou. Eduardo questionou ainda gastos com propaganda e alguns benefícios que foram levados no programa Acelera Tocantins. “São espetáculos tristes que parece que a pessoa não se envergonha de fazer “, salientou.