Palmas

Foto: Marcos Vinícius

A Prefeitura de Palmas vai entregar para a comunidade, a segunda Academia ao Ar Livre, da Capital, que será inaugurada na próxima terça-feira, 24, às 17h30 horas, na praça da Quadra 108 Sul, com a presença do prefeito Raul Filho (PT) , do secretário da Saúde, Samuel Bonilha além da população.

A academia tem como objetivo incentivar trabalhadores, idosos, e comunidade em geral, a praticarem exercícios e melhorar a qualidade de vida. Ao todo, serão quatro academias ao ar livre, na Capital: 906 Sul (inaugurada no último dia 4 de agosto), 108 Sul (que será inaugurada neste dia 24), 303 Norte e Jardim Aureny III que também serão inauguradas ainda neste ano.

”É cientificamente comprovado que a prática regular de atividade física previne vários tipos de doenças e melhora a auto-estima, promovendo a saúde e a qualidade de vida”, explica Bonilha.

Prevenir doenças crônicas

De acordo com Patrícia Ferreira Nomellini, coordenadora da Vigilância das Doenças e Agravos não Transmissíveis (DANT), da Secretaria da Saúde de Palmas (Semus), a inatividade física, aliada ao tabagismo, ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, à obesidade e à alimentação inadequada, são fatores de risco que respondem pela maioria das mortes por doenças crônicas não transmissíveis.

“Atividades físicas regulares, com alimentação saudável são os principais indicadores de uma vida com mais qualidade, pois além de prevenir doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, cardiovasculares, auxiliam também na diminuição das complicações das doenças degenerativas”, assegura a coordenadora.

Baixo Impacto Físico

A Academia ao Ar Livre é composta por 09 equipamentos básicos de baixo impacto físico, sendo alguns duplos e outros triplos, como: remada sentada, alongadores, simulador de caminhada, multiexercitadores, entre outros. “O objetivo do uso desses equipamentos é o de estimular a atividade física, diminuindo os riscos para as doenças crônicas não transmissíveis", destaca Tiemi Kojo, fisioterapeuta, responsável pela Área Técnica de Promoção da Saúde, da Semus.

Morbimortalidade

As DANT são compostas pelas doenças crônicas e pelas causas externas (violências e acidentes). Em Palmas, elas são as maiores responsáveis pelas causas de morbimortalidade. Os acidentes de trânsito e as doenças do aparelho circulatório são as primeiras causas de morte.

Atualmente, as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) possuem um importante papel no perfil de saúde das populações. Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que as DCNT são responsáveis por 58,5% de todas as mortes ocorridas no mundo e por 45,9% da carga global de doenças.

Fonte: Assessoria de imprensa Semus