Campo

Foto: Divulgação

A Agência de Defesa Agropecuária - prorrogou para o dia 10 de setembro, o período de vacinação contra a febre aftosa na Ilha do Bananal, prevista para finalizar no dia 31 de agosto. A medida se deve, principalmente, em função do fogo que castiga a região, atrasando o trabalho dos fiscais agropecuários.

Até o momento, 21 mil bovinos, que era a expectativa inicial da Agência, já receberam a dose da vacina, mas os técnicos continuam no local efetuando a imunização de mais três mil animais aproximadamente, oriundos do estado de Goiás. “O fogo alterou algumas rotas já estabelecidas para o acesso às propriedades rurais, mesmo assim, as equipes se esforçaram e estão finalizando a vacinação da totalidade do rebanho”, declara o presidente da Adapec, José Luciano Azevedo.

Segundo o diretor de sanidade animal da Adapec, José Emerson Cavalcante, foram adquiridas nove mil doses de vacina contra a febre aftosa. “O Governo do Estado, por meio da Adapec, adquiriu somente a vacina para a imunização do rebanho pertencente aos indígenas. Já as vacinas do rebanho dos não indígenas são pagas pelos próprios pecuaristas”, pontua, acrescentando que a imunização de todo o gado está sendo realizada pela Adapec.

Imunização

A vacinação contra a febre aftosa na Ilha do Bananal ocorre anualmente devido às características, físicas e geográficas da localidade, já que no período chuvoso 80% de sua área fica inundada. Todos os animais, independente da idade, recebem a imunização. A comprovação da vacina é feita de imediato já que a vacinação é executada pelos próprios fiscais da Adapec.

A imunização do rebanho existente na Ilha, que abrange uma área composta pelos municípios de Araguaçu, Formoso do Araguaia, Sandolândia, Pium, Caseara, Cristalândia e Lagoa da Confusão, teve início no dia 03 de agosto.

Ilha do Bananal

A maior ilha fluvial do mundo enfrenta grandes incêndios há mais de 10 dias. Por lá, o fogo já atingiu quase um milhão de hectares, equivalente a cerca de metade do tamanho do estado de Sergipe. No horizonte, a fumaça brota da mata, que abriga o Parque Nacional do Araguaia e reservas indígenas.

Fonte – Assessoria de Imprensa/Adapec