Polí­tica

Foto: Kleiber Arantes

O governador e candidato à reeleição pela Coligação Força do Povo, Carlos Henrique Gaguim (PMDB), prestigiou na manhã deste domingo, 05, a XIII Cavalgada do município de Colinas do Tocantins, realizada pelo Sindicato Rural da cidade. O governador esteve acompanhado do candidato ao Senado Marcelo Miranda (PMDB), de candidatos a deputado estadual e federal, do prefeito de Colinas, José Santana Neto (PT), e do presidente do sindicato, Adriano Rabelo.

Ao lado de mais de 5.500 participantes, o governador cavalgou e cumprimentou as pessoas que saíram às ruas para acompanhar o evento. “É uma das maiores cavalgadas que já participei. Isso mostra a força que Colinas tem no setor agropecuário, e o Governo irá investir mais ainda no médio e pequeno produtor rural”, afirmou Gaguim.

O governador destacou que o Governo facilitará o acesso dos produtores rurais ao crédito para aquisição de máquinas e o melhoramento da produção. “Vamos melhorar as estradas que são essenciais para o escoamento da produção. As máquinas já estão rodando o Estado para ajudar o homem do campo, e para o próximo ano vamos adquirir mais três mil máquinas; nenhum produtor ficará sem essa ajuda”, frisou o governador.

O presidente do Sindicato Rural de Colinas, Adriano Rabelo, reforçou seu apoio à reeleição de Gaguim. “É um governador do homem do campo. Ele se preocupa desde o melhoramento das estradas até a construção de poços artesianos para os produtores que sofrem com a seca”, destacou Rabelo.

Desenvolvimento

Para o produtor rural Silvério Abadia, 54 anos, a vitória de Gaguim será um marco para o Tocantins. “Vamos presenciar um desenvolvimento rápido. Ele consegue enxergar além e visualizar o futuro. É disso que nós precisamos, um homem de visão que projeta suas ações no presente visando sempre o amanhã”, enfatizou Silvério.

Plantador de milho, arroz e criador de gado leiteiro, Paulo Pereira contou que as máquinas já passaram por sua região. “Me ajudou muito. E espero que o governador continue com essa preocupação com a gente. É muito difícil lidar com a terra e ainda levar o que produzo para ser comercializado na cidade e nos municípios próximos”, disse Pereira.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Força do Povo