Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Júnior Coimbra (PMDB) que concorre a uma vaga na Câmara Federal destacou na tarde deste sábado, dia 11, que o Tocantins vive uma fase de redemocratização que precisa ser preservada, com avanços nos âmbitos social, econômico e, especialmente, político. “Precisamos manter as portas abertas para a democracia. Vamos focar neste presente de paz e no crescimento que vivemos no nosso Estado e que será mantido com a eleição do governador Gaguim, dos senadores Marcelo Miranda (PMDB) e João Ribeiro (PR), e dos deputados estaduais e federais da base aliada”, disse o candidato a deputado federal.

Para Coimbra, o Estado não pode voltar às perseguições políticas e aos atrasos que ocorreram durante o governo Siqueira Campos, um tempo em que, na sua opinião, o governo fechava as portas para a democracia e para as necessidades sociais.

“Foi Siqueira quem fechou as portas na cara dos estudantes da Unitins, quando privatizou a universidade e prejudicou milhares de estudantes que não tinham condições de pagar mensalidades”, disse Coimbra. “E foi ele também quem humilhou os servidores públicos, especialmente a Polícia Militar durante o movimento grevista de 2001 trazendo o Exército para coagir os policiais militares e suas famílias que reivindicavam melhores salários, sem falar nos professores aposentados que tiveram seus salários reduzidos da noite para o dia”.

O deputado faz um apelo para que a população reflita sobre o passado, o presente e o futuro do Tocantins. “Tem muita gente que não morava no Tocantins na época dos dois mandatos de Siqueira Campos. Eu peço que estas pessoas se informem sobre estas e tantas outras histórias tristes, de humilhações e perseguições ocorridas naquele tempo”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Júnior Coimbra