Polí­tica

Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira, 20, a expectativa no grupo governista é para a visita do Presidente Lula (PT) ao Estado nesta terça-feira, 21, em Porto Nacional (TO), onde inaugura 256 Km do trecho Colinas do Tocantins a Palmas, da Ferrovia Norte-Sul.

As obras na divisa entre os estados de Goiás e do Tocantins em Talismã tambémserão visitadas pelo presidente.

Lula visitará ainda a fábrica de dormentes da TIISA e fará um percurso de um trecho de 17 km, até chegar à divisa do Goiás onde será recebido por autoridades.

O presidente será recepcionado pelo governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) e por toda comitiva governista formada ainda por vários candidatos da coligação Força do Povo.

O senador João Ribeiro, presidente do PR e também membro do conselho político do presidente, virá com Lula de Brasília no avião presidencial, conforme informou ao Conexão Tocantins. O candidato ao Senado na coligação Tocantins Levado a Sério, Vicentinho Alves (PR) também vai acompanhar o presidente.

Nesta segunda-feira, a secretaria de Imprensa da Presidência realiza entrevista coletiva para tratar da visita. O superintendente regional da Valec, Jorge Bangoim, e o superintendente da Valec para a Ferrovia Norte-Sul, Carlos Benati.

Articulação política

Em razão da legislação eleitoral, Gaguim não poderá acompanhar a inauguração assim como nenhum candidato ao pleito deste ano, no entanto, conforme informou o secretário de Governo, Carlos Braga, todos os gestores foram convidados e a expectativa é que 104 acompanhem o presidente na inauguração.

“Estamos esperando uns 104 prefeitos e também maioria dos vereadores de nossa base”, informou.

Braga conta ainda que além do vice-governador, Eduardo Machado (PDT) que representará o governo do Estado, o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) também vai representar Gaguim politicamente.

Efeito político

Questionado pelo Conexão Tocantins qual o impacto político que a vinda do presidente pode causar para a campanha de Gaguim, o senador João Ribeiro respondeu através da assessoria de Imprensa que a visita é puramente “institucional” e que não tem fins políticos.

A partir desta segunda, o presidente começa também a pedir votos no horário eleitoral de Gaguim, o que para os governistas, terá peso nessa reta final da campanha.