Educação

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 27, o presidente interino do Sintet – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins, Elis Raik Carvalho, afirmou que a categoria em Palmas entra em greve já na próxima quarta-feira, 29. De acordo com o presidente interino, não houve acordo entre o sindicato e a Secretaria Municipal da Educação e a paralisação seria inevitável.

Carvalho informou ainda que na quarta, os trabalhadores paralisados se reunirão na sede do sindicato para uma Assembleia Geral. “E vamos formular a agenda de greve”, confirmou.

Elis Raik afirmou que desde o princípio, a paralisação das atividades dos servidores da educação de Palmas não terá data definida para acabar. “Quanto mais demorarem com as negociações, mais tempo durará a greve”, completou.

O presidente do Siintet, que, em entrevista ao Conexão na última sexta-feira, já havia afirmado que o sindicato recorreria à esta ação, caso as negociações com a prefeitura de Palmas não avançassem, destacou que espera, com a greve, agilidade nas conversações com a Semed. “Nós esperamos que o governo resolva os problema os problemas logo”, completou.

Por ofício, Semed responde à reivindicações

A Secretaria Municipal da Educação, através de ofício encaminhado ao Sintet, enumerou as reivindicações e as soluções procuradas para o impasse com os servidores da educação.

Entre as 11 reivindicações enumeradas pelo ofício, estão a implantação de um plano de saúde, concurso público para a categoria, não-obrigatorieade de registro em conselho responsável pelos professores de educação física (CREF), ar-condicionado nas salas de aula, pagamento dos biênios retroativos, plano habitacional, computador para cada professor, auxílio transporte em dinheiro, eleição para diretores – que hoje são indicados, reajuste salarial de 32% - já abdicado pelos sindicalistas.

De acordo com o documento da secretaria, o órgão está buscando soluções para todos os itens reivindicados pelos educadores. De todas as reivindicações, as que encontram maiores entraves na secretaria são aqueles que envolvem compra de equipamentos como aparelhos de ar-condicionado para as salas de aula e os computadores para cada professor.

Segundo as informações constantes no ofício, a justificativa é a baixa sofrida pela prefeitura de Palmas na arrecadação no ano de 2010. No entanto a secretaria afirma que busca soluções para o ano de 2011.

Smed ainda não notificada

Em contato com o Conexão Tocantins, a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal da Educação informou que o secretário Danilo de Melo ainda não havia recebido o documento notificando oficialmente a secretaria sobre a greve dos servidores. Contudo, de acordo com a Semed, o secretário só irá se pronunciar quando receber o documento oficial do sindicato.

Confira na íntegra o ofício encaminhado pela Secretaria da Educação:

Arquivos Anexos