Polí­tica

Foto: Dicom/AL

Em entrevista concedida antes do início da sessão ordinária da manhã desta quarta-feira, 20, o deputado estadual José Geraldo de Melo (PTB) informou que este momento não seria conveniente para o aumento no repasse orçamentário para a Assembleia Legislativa e órgãos judiciários. Os aumentos estão previstos na Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2011 que sugere um reajuste de cerca de R$ 40 milhões para a AL e mais de 100% para o Tribunal de Justiça, por exemplo.

O deputado, assim como seu par, Raimundo Moreira (PSDB), também lembrou que a Casa de Leis tentou aprovar um reajuste no orçamento quando o presidente era o então deputado Carlos Gaguim (PMDB), hoje governador. Segundo José Geraldo, “O governador era o Marcelo Miranda, e ele conseguiu nos convencer de que o momento não era oportuno”.

José Geraldo afirmou que todas as decisões tomadas sobre as diretrizes orçamentárias, não refletirão diretamente no atual governo, que encerra no dia 31 de dezembro. “O que ficar decidido hoje, será cumprindo no governo que vem”, informou. O petebista destacou ainda que seria mais “oportuno que a nova legislatura delibere sobre o assunto”.

O deputado informou que ainda nesta quarta-feira, entre as sessões da manhã e da tarde, acontecerá uma reunião entre todos os deputados para discutirem sobre as determinações da LDO. “Recebi uma ligação da assessoria da Casa. Então não acho que deve ser convocação de um deputado específico”, completou.

Prazo final

Durante a sessão ordinária da última terça-feira, relator da LDO 2011, deputado Sandoval Cardoso (PMDB) alertou os demais parlamentares que o prazo limite para apresentação de emendas na lei é na próxima quinta-feira, 21.