Polí­cia

Nesta quinta-feira, 28, o Ministério Público Estadual (MPE) solicitou, ao secretário de Administração e Planejamento de Xambioá, esclarecimentos sobre o pagamento de salário do atual vice-prefeito, Clênio da Rocha Brito, que está foragido e é acusado de participação na morte, ocorrida na cidade no ano passado, de Isabel Barbosa Pereira.

Com prisão preventiva decretada pela justiça, o vice-prefeito não é encontrado em Xambioá, segundo o promotor de justiça Caleb Filho, desde 1° de outubro. “Por isso, solicito ao secretário que informe se o vice-prefeito se encontra no desempenho de algum dever de seu ofício e, se for o caso, onde o mesmo poderá ser encontrado”, argumenta o representante ministerial.

Caso Clênio Brito não esteja exercendo suas atividades, o promotor de justiça solicita que o secretário de Administração informe quais providências serão adotadas no que diz respeito ao pagamento do salário ou subsídio do vice-prefeito, que mensalmente recebe R$ 4.700,00.

Entenda

O vice-prefeito Clênio da Rocha Brito é um dos 10 acusados de envolvimento no homicídio de Isabel Barbosa Pereira, 34 anos, assassinada e estuprada em junho de 2009 em Xambioá, distante 520 Km de Palmas, no extremo norte do Tocantins. Dos suspeitos de participação no crime, sete já estão presos, inclusive o ex-marido da vítima, detido no Acre e acusado de ser o mandante do homicídio.

Fonte: Assessoria de Imprensa MPE