Polí­tica

Foto: Divulgação

O chefe de gabinete do prefeito de Palmas, Raul Filho, Rilton do PT, afirmou ao Conexão Tocantins nesta terça-feira, 16, que a equipe da prefeitura já está fazendo o levantamento da quantidade de servidores comissionados que serão demitidos até o final do mês.

O prefeito anunciou na semana passada as primeiras medidas de corte com a reestruturação administrativa e extinção de seis pastas.O próximo passo é demitir mais de 100 servidores comissionados.

Para Rilton, essa atitude não vai gerar crise para a atual gestão. “Crise maior é se deixarmos as obras paradas e os programas da prefeitura sem execução”, disse.

Na extinção dos cargos e dos servidores não será levado em conta as alianças políticas, segundo Rilton. “O prefeito mais demitir independente de quem seja”, frisou.

O chefe de gabinete salientou que a medida é necessária já que, segundo ele, o município ultrapassou a porcentagem que a Lei de responsabilidade Fiscal estabelece para gastos com pessoal. “ A prefeitura aumentou proporcionalmente a porcentagem comprometida com a folha de pagamento e a renda recebida caiu nos últimos anos”, explicou.

Sem levantamento

Com a fusão e extinção de algumas pastas a prefeitura ainda não tem um levantamento de quantos servidores já foram exonerados, segundo o chefe de gabinete. O prefeito já salientou que as primeiras demissões aconteceram junto com a reestruturação administrativa. “Ainda não temos um levantamento final disso”, argumentou Rilton.

Para contornar o momento difícil pelo qual passa a gestão de Raul, Rilton do PT afirmou que a administração pretende ainda nestes últimos dias do ano buscar recursos em caixa para dar andamento aos programas da prefeitura e às obras do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC que estão paradas por falta de contrapartida do município.