Polí­tica

Foto: Elias Oliveira

O senador Leomar Quintanilha (PMDB) que encerra o mandato este ano falou ao Conexão Tocantins no final da tarde desta quarta-feira, 17, quando se manifestou solidário pelo fato da cassação do colega de partido, Marcelo Miranda que mesmo eleito teve o registro impugnado pelo pleno do Tribunal Superior Eleitoral.

“É uma pena que o partido perca essa representação, mas é a determibação da justiça temos que cumprir”, pontuou. Para o senador , há ainda a expectativa em torno do recurso que será impetrado por Marcelo no Supremo Tribunal Federal. “Vamos aguardar os efeitos dos recursos”, disse.

Questionado se o resultado do TSE demonstra que o partido e os aliados erraram ao permanecer com a indicação de Marcelo mesmo correndo riscos, Quintanilha disse que não participou de nenhuma decisão nesse sentido nem foi consultado.

“Houve concordância farta dos membros para correr esse risco mas eu não participei de nenhuma discussão mas também não me manifestei contrário”, salientou.

Quintanilha não conseguiu uma cadeira na Câmara Federal este ano mas chamou atenção para a necessidade da legenda rever a situação. “O PMDB é um partido forte, tem história e precisa rever a posição para recuperar o espaço no Estado”, salientou.

O peemedebista evitou falar sobre o relacionamento do partido com o governo de Siqueira Campos que começará a partir de janeiro. “Eu não posso falar pelo partido embora eu seja o vice-presidente”, disse.

Especulações

Questionado sobre a possibilidade de compor a equipe da presidente eleita Dilma Rousseff (PT), Quintanilha afirmou que não tem expectativas com relação á isso. “Eu creio que tudo isso são especulações, eu não alimento essas expectativas. Estou num momento de reflexão, depois de 22 anos de mandatos consecutivos preciso refletir sobre tudo isso”, frisou.

Orçamento

O senador frisou também que participará ativamente das discussões para a elaboração do Orçamento da União. Hoje, conforme informou Quintanilha, foi a primeira reunião de bancada para discutir sobre as emendas.