Polí­tica

Foto: Dicom/AL

O projeto de resolução que tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia legislativa e trata da mudança no sistema de votação para presidência na Casa de Leis já causa polêmica entre os dois grupos políticos.

A alteração foi proposta pela bancada governista na quarta-feira, 17 e já enfrenta resistência por parte de alguns parlamentares que enxergam na proposta uma maneira de controlar o voto dos deputados.

O líder da bancada do PMDB, deputado Iderval Silva (PMDB) negou essa intenção ao Conexão Tocantins. A intenção da proposta justamente antes do início de uma gestão que terá à frente Siqueira Campos (PSDB) segundo ele é apenas adequar com o de outras Assembleias.

“O voto em outras Assembleias já é aberto, assim é mais democrático e aberto. Não tem outra intenção afinal ninguém tem que esconder voto”, frisou.

O peemedebista disse também que com o voto aberto a população poderá saber a posição dos parlamentares. “Além de modernizar nosso sistema, a comunidade vai ter mais clareza, afinal a Assembleia tem que ser transparente”, salientou.

Grupo unido

O deputado comentou ainda que a prioridade do grupo que será oposição a partir do próximo ano é manter a unidade para continuar maioria. Não há ainda nenhum nome favorito no grupo para ser o candidato à presidência, segundo Iderval.

“Primeiro a unidade depois veremos isso. Mas todos os 15 estão habilitados a disputar o cargo. Vamos escolher aquele que melhor represente o grupo”, salientou.

Questionado sobre o interesse do PMDB na vaga, ele admitiu que para a sigla é importante conseguir a presidência. “Mas vamos discutir todos juntos”, completou.