Saúde

Foto: Divulgação

O Centro de Controle de Zoonoses, (CCZ), está passando por reformas, ampliações físicas e reestruturação de procedimentos que são considerados avanços, na história de 19 anos, de existência do órgão.

Além da reforma do canil, da ampliação da casa de vacinas, da retomada de procedimentos do centro cirúrgico, com esterilizações, o CCZ teve ainda todo o sistema de esgotamento sanitário reconstruído.

“Estamos trabalhando para proporcionar melhor atendimento à população e maior abrangência dos serviços prestados pelo CCZ, de forma descentralizada, para alcançarmos um nível de qualidade ambiental, cada vez melhor, em Palmas. Esse é o nosso desafio ” - argumenta Samuel Bonilha, secretário da Saúde.

Eficiência e modernização

A Secretaria da Saúde de Palmas, (Semus), implantou, hoje, um novo sistema de eutanásia de animais soropositivos para a Leishmaniose visceral,(calazar), substituindo o antigo método (câmara de gás) para a química injetável.

“Essa nova metodologia, além de ser mais eficaz, tem o intuito de se adequar à legislação e atende às recomendações do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), ao Termo de Ajuste de Conduta, assinado junto ao Ministério Público, no mês de maio passado, bem como atende às sociedades de proteção aos animais” - explica Cláudio Gilberto Garcia, diretor de Vigilância em Saúde.

Segundo o diretor, a eutanásia, que significa “boa morte” é o único instrumento recomendado pelo Ministério da Saúde, (MS), para animais soropositivos, para o calazar. “Não existe tratamento eficaz em animais doentes com leishmaniose visceral, de acordo com o MS, maior autoridade sanitária do País”.

População Canina

Informações sanitárias, histórico de doenças e vacinas, esclarecimento quanto à esterilização do animal, além do endereço de residência do proprietário estão sendo cadastradas, e compondo o Cadastro Municipal de Animais para Controle das Zoonoses.

Já se encontra em funcionamento também, o centro cirúrgico, onde os animais podem ser gratuitamente castrados.

“Assim será mais fácil controlar a população canina e felina, bem como, as zoonoses, além da adoção responsável” - argumenta Wolney Aires Pedreira, coordenador de Zoonoses do CCZ, esclarecendo que, animais sadios errantes não podem mais ser recolhidos, apenas os doentes. “ Vamos chamar os donos à responsabilidade pois não é mais permitido se desfazer de cães, jogando-os nas ruas da cidade” - informa o veterinário, coordenador de Zoonoses do CCZ.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Semus