Polí­tica

Foto: Dicom/AL Stalin diz que vai resistir à articulação em prol de Siqueira Stalin diz que vai resistir à articulação em prol de Siqueira

Durante seu pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira, 30, o deputado Stálin Bucar (PR) reacendeu as rusgas entre o Naturatins, presidido por seu filho, Stálin Beze Bucar e a senadora Kátia Abreu (DEM).

De acordo com o discurso do deputado, em momento algum ele interferiu nos trabalhos realizados no órgão. Bucar afirmou inclusive, que não tem como costume freqüentar o instituto, desde que seu filho assumiu a presidência. “Se fui naquele órgão 4 vezes, foi muito. As vezes que eu fiz contato com aquele presidente foi por telefone e a pedido de colegas desta Casa, inclusive de membros da oposição ao governo”, completou.

Bucar voltou a atacar a senadora, lembrando de outras situações em que Kátia Abreu teceu acusações contra o governo sem a apresentação de provas. De acordo com Bucar, no entanto, caso a senadora não apresente as evidências necessárias para confirmar suas denúncias, ele pretende acionar judicialmente Kátia Abreu. “Vamos aguardar esta senadora provar o que ela disse que vai provar. Ela não vai ficar sem responder na justiça por injúria e calúnia”, reforçou.

Denúncias contra Kátia

Stálin Bucar ainda aproveitou seu tempo à frente de seus pares para apresentar notícias de jornais nas quais a senadora é apontada como responsável por crimes ambientais pela justiça. De acordo com o deputado, são notícias veiculadas em jornais de circulação nacional. “Não foram apenas jornais daqui do Estado. Foram jornais que circulam no Brasil todo”.

Bucar deu ênfase em duas matérias que dizem que a senadora teria sido multada em mais de R$ 75 mil por desmatamento de áreas de proteção ambiental. “Ao todo ela desmatou mais de 776 hectares”, frisou.

Lembrando 2006

Para finalizar seu discurso, o deputado relembrou a eleição estadual do ano de 2006, na qual a senadora concorreu ao congresso nacional contra o ex-senador Eduardo Siqueira Campos (PSDB). Segundo Bucar, na ocasião a senadora não poupou a família do governador eleito de duras críticas. “Ela disse que era para banir a família Siqueira do Estado”, completou.

O deputado ainda afirmou que a senadora foi o pivô da separação do governador Siqueira Campos de sua então esposa, Dona Aureny Siqueira Campos. Bucar afirmou que na ocasião, o governador eleito partiu em viagem oficial à Ásia e teria apresentado a senadora como sua esposa, o que teria gerado a separação do casal Siqueira Campos. “Naquele episódio que o governador a levou para a China e a apresentou como esposa”, completou.

Outro ponto de atrito levantado pelo deputado na tribuna da AL foi a de que a senadora também teria, ainda em 2006, acusado o então senador Eduardo Siqueira de uso de drogas. “Em Miranorte ela fez campanha para as pessoas não votarem nele (Eduardo Siqueira Campos) por que ele usava drogas”, completou.