Palmas

Foto: Divulgação cobrou explicações e Carlos Augusto solicitou o pagamento imediato dos trabalhadores cobrou explicações e Carlos Augusto solicitou o pagamento imediato dos trabalhadores

Falta de pagamento de horas extras para os fiscais de obras, este foi o motivo que levou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), Carlos Augusto de Oliveira, a procurar a Secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Palmas, Kenniane Lenir Barreira.

Os fiscais de obras e posturas trabalharam fora do expediente normal entre os dias 26/06 e 25/07 de 2010, e não receberam os valores a que têm direito, apesar da existência de uma vasta documentação reconhecendo o direito ao pagamento das horas extras, segundo o Sisemp.

Em ofício enviado à secretaria, o presidente do Sisemp cobrou explicações e solicitou o pagamento imediato dos trabalhadores, uma vez que o sindicato vem recebendo reclamações dos fiscais que trabalharam e necessitam receber o pagamento atrasado, segundo o sindicato.

No último dia 20 de dezembro, a secretária Kennianne Lenir enviou um ofício ao Sisemp, informando que não poderia atender a reivindicação tendo em vista que no período em que os servidores trabalharam além das horas normais, este tipo de despesa já estava cortada, devido a racionalização de despesas administrativas, relatou ainda que o diretor que autorizou o trabalho dos servidores já tinha conhecimento da proibição da despesa.

Carlos Augusto declarou ser um absurdo uma secretaria do município fazer uma declaração desta natureza. “O servidor presta serviço para a administração em geral e não para o superior c ou d, se o pagamento de horas extras estava suspenso o supervisor não poderia de forma alguma autorizar o trabalho, nós esperamos que haja uma compreensão por parte dos gestores e que os mesmos procurem resolver este problema para evitar que a justiça seja acionada para garantir os direitos dos trabalhadores”. concluiu Carlos.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sisemp