Campo

Foto: Madson Maranhão

O agronegócio tocantinense, que responde por 72% da economia do Estado, ganha mais reforço na nova gestão da Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e Desenvolvimento Agrário. “Temos que reformular os incentivos fiscais para otimizá-los para o agronegócio no Estado. A missão da Secretaria é incentivar os produtores rurais e promover a lucratividade”, disse o secretário da Seagro, Jaime Café de Sá.

Para reforçar e criar medidas de incentivo para o agronegócio tocantinense, o governador Siqueira Campos criou novos mecanismos para expandir os investimentos no Tocantins. Entre as medidas para impulsionar a produção agropecuária, estão à criação de três subsecretarias, de Aquicultura e Pesca, de Assentamentos e Produção de Energia Limpa.

Para Jaime Café, estas três subsecretarias são os pilares de sustentação para impulsionar o agronegócio. “Cada subsecretaria responderá por funções de articulação das políticas públicas no setor agropecuário”, projetou. O secretário diz ainda que as subsecretarias de Aquicultura e Pesca e Energia Limpa serão responsáveis para fomentar a agricultura e a agroenergia. Já a subsecretaria de Assentamos terá o papel de levar aos produtores da agricultura familiar as condições de acesso às linhas de créditos.

Empreendedores

Em relação aos investimentos dos futuros empreendedores que pretendem instalar no Tocantins, o Estado vai cumprir seu papel de dar condições para que o produtor chegue, se instale e tenha condições de trabalhar, sempre respeitando o meio ambiente. “O setor agropecuário deve ser potencializado para projetar o Tocantins entre as dez maiores economias do País até 2020”, avaliou.

Ainda conforme Jaime Café, a soja, o produto carro-chefe das exportações e a carne bovina, estão tomando dimensão cada vez maior no Brasil. Estes produtos estão passando por um momento muito importante com o mercado mundial super aquecido. “Precisamos dar condições necessárias para desenvolver a pecuária intensiva, e assim, aumentar o número de cabeça de gado por hectare, sem precisar aumentar a área, e levar uma oferta melhor para o mercado nacional e mundial”, destacou.

Silvicultura

A silvicultura, um segmento com avanços significativos no Estado, será fortalecido com projetos de plantação do eucalipto e outras espécies para produzir energia, carvão, papel celulose e movelaria. A seringueira para a produção de borracha será mais uma alternativa para geração de renda no Tocantins.

Cadeia produtiva

Segundo informa o secretário, nesta nova gestão todos os segmentos serão fortalecidos. “Todas as cadeias produtivas receberão incentivos para se desenvolverem. O momento requer um levantamento bastante preciso dos potenciais de cada região”, enfatizou.

Fonte: Secom