Polí­tica

Os 19 hospitais estaduais do Tocantins estão com déficit no atendimento por causa da exoneração dos servidores comissionados que atuavam como recepcionistas, técnicos administrativos, motoristas de ambulâncias e seguranças.

O governo não demitiu médicos nem técnicos de enfermagem, no entanto, recepcionistas, motoristas dentre outros servidores que não eram efetivos foram exonerados. Técnicos de enfermagem que foram contratados como auxiliares administrativos também foram demitidos.

O governo ainda não anunciou a medida que tomará para sanar a situação, conforme informou Raimundo Boi, membro da Comissão de Saúde na manhã desta segunda-feira, 17.

A medida mais viável será a recontratação de alguns servidores para suprir o quadro o que está sendo analisado junto à Casa Civil e Secretaria de Administração.

Seis cargos

O governo nomeou seis pessoas, conforme Diário Oficial da sexta-feira, 14, para o quadro da Ciência e Tecnologia, pasta que tem os cargos regulamentados por uma Medida Provisória. A nomeação foi no mesmo dia da exoneração dos mais de 15 servidores comissionados.

Defensoria

A Defensoria Pública, como adiantou o Conexão Tocantins, também está com problemas para prestar os serviços à população.

Por falta de quadro próprio de servidores administrativos a defensoria vai suspender parcialmente o atendimento.

A instituição informou que a comunicação de flagrantes, realização de audiências, processos em curso e ainda a Central de relacionamento com o cidadão continuam funcionando.

O órgão tinha 289 servidores nas 42 Comarcas e perdeu 211 funcionários que eram cedidos pelo Estado, o que representa mais de 70% de perda.