Estado

A comissão de concurseiros do Quadro Geral encaminhou nota onde afirma que é contra os contratos temporários para a contratação de servidores nas pastas da atual administração estadual.

No manifesto, a comissão cobra ainda agilidade do judiciário no julgamento do certame que foi realizado em 2009 na gestão de Marcelo Miranda (PMDB).

Veja a nota na íntegra:

MANIFESTO POR CONCURSO PÚBLICO

Que o Judiciário Tocantinense tenha a agilidade necessária em momentos sensíveis como o que estamos passando, principalmente no tocante ao concurso do Quadro Geral do Poder Executivo do Estado do Tocantins e outros, para que o Poder Executivo possa suprir os serviços essenciais com servidores efetivados digno e legalmente por concursos, serviços estes que se encontram hoje deficitários por conta das exonerações que ocorreram.

Que o Executivo faça o que é certo, que os concursos da Saúde e da Educação sejam utilizados neste instante para repor o material humano necessário, e que este mesmo Poder Executivo também busque sensibilizar o Judiciário para que aquele agilize, na medida do possível, os julgamentos dos concursos pendentes, entre eles o da Unitins, Defensoria Pública e Quadro Geral.

Somos absolutamente contra qualquer contrato temporário, principalmente na educação e saúde, visto a existência de concursos liberados e seus cadastros de reservas, com aprovados prontos para assumir as funções deficitárias do poder público. Cidadão que estudaram e estão por mérito aguardando suas convocações.

Somos a favor de CONCURSOS PÚBLICOS, que dão dignidade ao cidadão, e fazem com que estes entrem de cabeça erguida, pela porta da frente, em qualquer órgão público, seja este, neste Estado ou em qualquer lugar deste País.

Com raiva, decretamos o fim das injustiças e a luta pelo direito do povo e dos candidatos dos concursos no Estado do Tocantins.

Comissão em Defesa do Concurso do Quadro Geral e Outros.

“Em defesa de milhares de cidadão”

www.concursosecad.net

Por: Redação

Tags: Defensoria Pública, Quadro Geral, Unitins