Campo

Foto: Fransber Alves

Trinta e nove produtores rurais de Itacajá e região, acompanhados do prefeito do município, Manoel Pinheiro (PSDB), e do presidente da Associação dos Pequenos Produtores do Marajá, Geovane Pinheiro, visitaram nesta sexta-feira, 4, as instalações da Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa), em Pedro Afonso.

O presidente da cooperativa, Ricardo Khouri, apresentou as instalações da unidade armazenadora aos produtores, prestou esclarecimentos sobre os trabalhos desenvolvidos pela cooperativa, além de mostrar a nova estrutura da entidade que visa a participação de pequenos e médios produtores em projetos desenvolvidos como o do Arranjo Produtivo do Leite (Projeto do Leite), e nas áreas de fruticultura, avicultura de postura, dentre outras iniciativas.

Os visitantes conheceram a unidade de armazenamento, onde um técnico explicou como funciona o processo de secagem e armazenagem dos grãos. Ainda na área do secador conheceram o canteiro de mudas, onde técnicos explicaram o processo de cultivo de mudas de abacaxi.

Em seguida o grupo se dirigiu a sede da cooperativa onde foram recebidos no auditório pelo presidente que agradeceu a visita e falou sobre a importância da mudança do quadro social da instituição, visando alcançar os pequenos produtores de toda região onde a Coapa desenvolve seus trabalhos. Ricardo Khouri explicou de forma simples e clara como funciona uma cooperativa e os benefícios que ela pode trazer aos pequenos e médios produtores.

O gerente da Unidade Agroveterinária da Coapa, Vanderlei de Souza, fez uma apresentação contando a história da cooperativa desde sua criação há 13 anos até os dias atuais. Já o gerente da Unidade do Sistema de Crédito Cooperativo (Sincred) de Pedro Afonso, Roberto Buchweitz, explicou aos produtores como será o funcionamento da cooperativa de credito em Pedro Afonso e região.

Ao final da visita, os produtores de Itacajá e os integrantes da Coapa participaram de um almoço na sede cooperativa

Projeto de Arranjo Produtivo do Leite

“O projeto do leite da Coapa caiu como uma luva para a região de Itacajá, onde temos um grande potencial pecuário, além de resolver um problema crucial que é a geração de renda fixa no campo, o que vai conceder melhor qualidade de vida ao produtor, proporcionando que este viva com mais dignidade. Queremos ser parceiros da Coapa nesta iniciativa”, afirmou o prefeito de Itacajá, Manoel Pinheiro.

“Estou muito esperançoso com o trabalho que a Coapa está desenvolvendo, espero que ela nos ajude com o apoio de seus técnicos. Ano passado tivemos uma grande dificuldade com um período de seca, perdi alguns animais, o pasto morreu, teve praga de lagartas e o mato tomou conta, com o apoio de técnicos espero que estes problemas não nos atinjam como da ultima vez”, afirmou José Deodato da Silva, produtor da Fazenda Palmeira e integrante da Associação de Pequenos Produtores do Marajá.

Otimista, o presidente da Associação dos Pequenos Produtores do Marajá, Geovane Pinheiro, informou que a associação conta como 53 associados e alguns já estão cadastrados no programa do manejo do leite. “A Coapa chega à região pra trazer grande melhoria, todo mundo está muito otimista, vamos dar todo o apoio que for necessário para que outros produtores venham fazer parte do projeto”, disse Pinheiro.

Início da comercialização

Na segunda-feira, 7, começam as coletas nas propriedades cadastradas no Projeto de Arranjo Produtivo do Leite, chamado pelos produtores de Projeto do Leite, desenvolvido desde 2010 pela Coapa. Será uma data especial para 125 pequenos produtores rurais que participam do projeto realizado nos municípios de Pedro Afonso, Bom Jesus do Tocantins, Santa Maria do Tocantins, Itacajá e Tupirama.

Foram instalados nove tanques de resfriamento localizados na Associação dos Produtores Rurais do Jaó, zona rural de Itacajá, e outro na própria sede do município; no perímetro urbano de Santa Maria do Tocantins e na Associação Água Suja, área rural do município de Santa Maria; nas Associações dos Produtores Rurais da Barriguda, Olho D’água e Sítio Novo, município de Bom Jesus do Tocantins; na Agrovila Bom Tempo, em Pedro Afonso, e na plataforma central na sede da Coapa em Pedro Afonso.

Cada tanque de campo tem capacidade para 2 mil litros que serão coletados a cada três dias. Estão localizados estrategicamente a uma distância variando de 7 a 10 Km de cada propriedade. Dessa forma o produtor percorre um percurso razoável para entregar seu leite, garantido a qualidade do produto. Já o tanque da plataforma central tem capacidade para armazenar 12 mil litros. A cooperativa também adquiriu um caminhão tanque isotérmico, capaz de transportar 8300 litros de leite do campo para a plataforma central.

As etapas seguintes são a comercialização no mercado spot (sistema de negócios à vista e entrega imediata) e o transporte para a unidade da Leitbom, em Conceição do Araguaia (PA), onde o produto será beneficiado e preparado para venda e consumo. Nessa fase inicial serão enviados 4 mil litros diariamente, totalizando a comercialização mensal de 28 mil litros.

O preço a ser pago pelo litro de leite será definido pelo mercado, assim como ocorre com a soja e outros produtos.

(Colaborou Fred Alves)