Polí­tica

Foto: Divulgação

Outro ponto levantado nas discussões de tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira, 16, foi a postura da Prefeitura de Palmas em não investir no carnaval no ano de 2011.

O deputado Eli Borges (PMDB) mostrou uma pesquisa realizada com a população de Palmas, na qual diz que quase 70% da população não concordam com os cerca de R$ 2 milhões gastos pela prefeitura na realização da festa popular. “Gasta-se um valor no carnaval que pode-se investir na saúde e na educação e traz conseqüências, de acordo com dados científicos”, completou.

Para defender a não realização do carnaval em Palmas este ano, Eli frisou que menos de 2% dos pesquisados consideram a festa um movimento cultural. “Por isso, eu acredito que a medida da prefeitura e da secretária Kátia (Maia, da Cultura de Palmas) agiram corretamente”, disse.

Eli, que é pastor evangélico, para dar credibilidade à pesuqisa apresentada, destacou que a minoria da população pesquisada faz parte da mesma religião. “Mais de 60% dos pesuqisados são católicos e 30% são evangélicos”, disse.

Wanderlei faz coro

Sobre o carnaval, o deputado Wanderlei Barbosa (PV) desafiou aos interessados a apresentar propostas alternativas para a realização da festa. “Apresentem projetos nos quais a prefeitura não precise tirar dinheiro da operação tapa-buraco, por exemplo”, completou, informando que é favorável à realização do carnaval.

Lelis defende turismo

Em resposta ao deputado Eli Borges, o deputado Marcelo Lelis (PV) destacou que é necessário que se retomem os investimentos no turismo do Tocantins. Rebatendo Borges, Lelis frisou que entende os motivos apresentados por ele na tribuna, mas defendeu que o carnaval, assim como outras atividades, esquenta o turismo na capital.

Lelis ainda convocou os deputados que tenham representatividade em Palmas para que restabeleçam contato com o conselho municipal de turismo epara debater sobre os problemas turísticos de Palmas. “Taquaruçu está abandonado; a Serra do Carmo perdeu seu potencial eco-turístico; as praias da capital estão às moscas. Eu proponho a vossa excelência que nós usemos a comissão para discutir o projeto turístico de Palmas que está abandonado”, concluiu.