Polí­tica

Foto: Divulgação

Após reunião da assembleia geral dos servidores da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira, 17, foi definida, de acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores do Legislativo Estadual (Sindilegis), Adilson Cruz, a formação de uma comissão de cinco funcionários para discutirem a redução dos 20% nas gratificações por produtividade.

De acordo com Cruz, o objetivo da comissão de servidores é abrir o diálogo com os deputados para chegarem a um consenso sobre a postura do sindicato frente à situação. “Nós vamos dialogar para posteriormente trazermos a decisão para mais uma assembleia geral da categoria”, frisou.

Como informado anteriormente pelo próprio presidente, os funcionários da Casa não foram consultados no ato do corte das gratificações. “Nós fomos pegos de surpresa”, disse Cruz.

Para complicar ainda mais a situação, os sindicalistas tentam a reunião com os deputados ainda nesta quinta-feira, data em que o parlamento define a instalação das comissões permanentes. Com isso, as negociações ainda seguem paralisadas enquanto a comissão de servidores não consegue se reunir com os deputados.

O presidente da Casa, deputado Raimundo Moreira (PSDB) destacou que a reunião dos servidores será com todos os deputados. “A reunião será com todos os líderes, de todos os blocos. A definição foi de todos os deputados”, completou.

Mesmo sem uma definição oficial apresentada pelo Sindilegis, um funcionário da Casa informou rapidamente que o sindicato não descarta a possibilidade de greve dos servidores, caso as negociações não avancem com os deputados.